Catarina de Aragão e a iconografia do macaco na arte renascentista

No Renascimento, os macacos carregavam uma profunda simbologia. Podiam ser símbolo de luxúria, tolice, irracionalidade e frivolidade. O pintor flamengo do século XVI, Pieter Brueghel gostava de tal alegoria e muitas vezes incluía macacos em suas pinturas. Em uma pintura datada de 1562, Brueghel retratou dois macacos acorrentados e presos, uma simbologia ao estilo pecaminoso…