Cartas Tudor: Carta de Ana Bolena a Thomas Wolsey

O documento que irão ler a seguir, foi escrito por Ana Bolena ao então Cardeal da Santa Igreja Romana e Arcebispo de York, Thomas Wolsey, no verão do ano de 1528. A missiva foi escrita durante o surto da doença do Suor Maligno. Na época, Ana havia sido mandada a Hever Castle, quando seu servo foi infectado na corte henricana. A maioria das cartas de amor trocadas por Henrique e Ana, foram escritas durante este período de separação.

Nesta época, a própria Ana foi acometida pela doença, porém sobreviveu. Ela escreveu esta carta a Wolsey em agradecimento a um presente e um bilhete enviados pelo mesmo enquanto estava enferma. Por muitas vezes em livros de história, Ana e Wolsey foram colocados como inimigos implacáveis a partir da visão de vários historiadores. No entanto, é necessário salientar que, durante o ano de 1528, o relacionamento entre ambos ainda era deveras positivo e agradável. Nesta época, Ana e Henrique realmente acreditavam que o Cardeal poderia obter a anulação do matrimônio do monarca com sua então consorte, Catarina de Aragão; porém, uma vez que o mesmo falhou em sua missão, ambos ficaram desolados, e a desilusão de Henrique, levou a fazer com que seu antigo servo caísse de suas graças. A eventual morte de Wolsey pouco depois, provavelmente poupou-o de uma execução.

Wolsey mantinha alianças pró-francesas, e era seu desejo desposar Henrique VIII com alguma princesa francesa no momento da anulação de seu casamento. Ele incomodou-se com a ascenção de Ana Bolena e seus muitos parentes. Naturalmente, a oposição às políticas do cardeal centrou-se em torno da pessoa que então ocupava os pensamentos de Henrique VIII – a própria Ana. No início, Ana e Wolsey perceberam que não poderiam entrar em conflito direto. Porém, apenas um ano após esta carta, ao final da audiência legal em Blackfriars, Ana percebeu que Wolsey não conseguiria de fato, obter a anulação do casamento do monarca inglês. Ela suspeitava – de modo correto – que ele nunca havia pretendido casá-la com Henrique.
Wolsey esperava que os atrasos na obtenção da anulação durassem o mesmo tanto que o fogo da suposta paixão de Henrique por sua amante, percebendo que a anulação per se, era um assunto bastante delicado e quase impossível.

Carta Original:

My lord,
In my most humble wise that my poor heart can think, I do thank your grace for your kind letter, and for your rich and goodly present, the which I shall never be able to deserve without your help, of which I have hitherto had so great plenty, that all the days of my life I am most bound of all creatures, next the king’s grace, to love and serve your grace, of the which I beseech you never to doubt that ever I shall vary from this thought, as long as any breath is in my body. And as touching your grace’s trouble with the sweat, I thank our Lord that them I desired and prayed for are escaped; and that is the king’s grace and you, not doubting that God has preserved you both for great causes known alonely of His high wisdom. And as for the coming of the legate, I desire that much. And if it be God’s pleasure, I pray him to send this matter shortly to a good end; and then I trust, my lord, to recompense part of your great pains. In the which I must require you, in the mean time, to accept my goodwill in the stead of the power; the which must proceed partly from you, as our Lord knoweth, whom I beseech to send you long life, with continuance in honor. Written by the hand of her that is most bound to be your humble and obedient servant,
Anne Boleyn.


separador

Carta Traduzida:

Meu Senhor, 
desde a mais humilde sabedoria que meu coração possa pensar, eu agradeço Sua Graça por sua gentil carta e por seu rico e belo presente, o qual eu jamais poderia ser hábil a merecer sem sua ajuda, na qual até então tive em tanta abundância, que todos os dias de minha vida sou a mais devota de todas as criaturas próximas às graças do Rei, para amar e servir Sua Graça, da qual eu lhe imploro que nunca duvide que um dia mudarei de pensamento, enquanto houver qualquer respiração em meu corpo. E, tão tocante quanto o problema da sua graça com o suor, agradeço ao nosso Senhor que, os que eu desejei e orei escaparam [deste mal]; e isto, e a graça do Rei e você, não duvidando que Deus tenha preservado vocês dois por grandes causas conhecidas por sua elevada sabedoria. E quanto à chegada do Legato, eu desejo isto por demais. E se for da vontade de Deus, eu rogo a ele para que resolva isto brevemente para um bom término; e então, eu confio Meu Senhor, para recompensar parte de suas grandes angústias. No que devo exigir, entretanto, que aceite minha boa vontade no lugar do poder; no qual deve proceder parte de você, como nosso Senhor sabe, a quem eu imploro que lhe envie longa vida com duradoura honra. Escrito pela mão dela, que é a mais compelida a ser sua humilde serva,
Ana Bolena.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s