Erros Históricos na Série The Tudors- Temporada 1

Não há como negar que a série televisiva, The Tudors, dirigida por Michael Hirst e exibida pelo canal Showtime de 1 de abril de 2007 a 20 de junho de 2010, foi um sucesso. Um drama histórico carregado de reviravoltas, sobre a trajetória de um dos mais controversos monarcas ingleses, Henrique VIII e suas seis consortes – algumas com finais trágicos e outras, verdadeiras sobreviventes.

No entanto, naturalmente, como toda produção de grande porte, a série foi bastante desprezada por historiadores ingleses, como David Starkey ou Tracy Borman, que a classificaram como sendo historicamente imprecisa ou até horrível.

Deste modo, iremos realizar uma série de 4 artigos (um para cada temporada), a respeito das inexatidões históricas apresentadas no drama televisivo. Desde enganos inofensivos até erros crassos, nada passará despercebido. Acompanhe:

Temporada 1:

Captura de Tela 2017-02-01 às 00.31.27.png
Thomas Wolsey na série The Tudors.

Erro 1:
Na primeira temporada da série, o cardeal, estadista e Lord Chancellor de Henrique VIII, Thomas Wolsey, comete suicídio na prisão.
Correção:
Wolsey não suicidou-se. Ele faleceu – com aproximadamente 57 anos de idade – de causas naturais, durante uma viagem de Cawood, Yorkshire, rumo à Torre de Londres, no dia 29 de Novembro de 1530.

Erro 2:
O jovem Henry Fitzroy, filho ilegítimo do monarca Henrique VIII e sua amante, Elizabeth (Bessie Blount), morre em tenra idade, em decorrência da doença do suor (sweating sickness).
Correção:
Henry morreu na Palácio de St James, em 23 de Julho de 1536, aos 17 anos de idade. Alguns historiadores acreditam que sua morte ocorreu devido à alguma doença no pulmão, como por exemplo, tuberculose.

Erro 3:
Durante o evento do Campo do Pano de Ouro (Field of Cloth of Gold), a Princesa Maria, filha de Henrique VIII com sua consorte Catarina de Aragão, encontra seu prometido, o Dauphin da França, e o empurra no chão.
Correção:
A Princesa Mary, filha de Henrique VIII e Catarina de Aragão, não foi mencionada durante as festividades ocorridas no Campo do Pano de Ouro. Isto deve-se ao fato de que a mesma, não acompanhou seus pais ao evento – embora estivesse, de fato, prometida ao Dauphin francês. A Princesa Mary que acompanhou Henrique VIII e sua comitiva ao evento, era a irmã do monarca, Maria Tudor, Rainha da França.

Erro 4:
Henrique VIII tem apenas uma irmã, chamada Margaret.
Correção:
Henrique VIII teve duas irmãs que sobreviveram à idade adulta, Margaret e Maria Tudor. A personagem apresentada na série, é um amálgama destas duas mulheres. No entanto, nem Maria, tampouco Margaret, foram casadas com o Rei de Portugal e é claro, muito menos o assassinaram. Maria foi casada com Luís XII da França, e pouco tempo depois, após sua morte, desposou Charles Brandon. Margaret Tudor casou-se 3 vezes, sendo a primeira, com James IV da Escócia. Margaret Tudor foi avó paterna de Mary Stuart, Rainha dos Escoceses e Maria Tudor foi avó materna de Lady Jane Grey, Rainha dos Nove Dias.

Erro 5:
Margaret Tudor viaja à Portugal para desposar o velho rei português.
Correção:
Foi Maria e não Margaret (aos 18 anos de idade) quem viajou à França (não Portugal) a fim de desposar o rei Louis XII, que contava com 52 anos de idade na época do matrimônio. Margaret Tudor, conforme mencionado acima, casou-se anos antes (em 08 de Agosto de 1503) com o Rei da Escócia, James IV.

Erro 6:
Na série, o Rei Henrique tem um namorico com a princesa Marguerite de Navarra.
Correção:
Não há registro algum sobre este affair, sendo altamente improvável que tenha ocorrido, uma vez que Marguerite era conhecida por sua reputação altamente respeitável.

Erro 7:
Ana Bolena tem pele clara e olhos azuis.
Correção:
Ana Bolena foi descrita por embaixadores venezianos como sendo de aparência mourisca. Outros relatos descrevem seus expressivos olhos negros, cabelos de mesma tonalidade e tez amorenada, olivada. Falamos mais sobre isso AQUI.

Erro 8:
Na série, a jovem Lady Anna Buckingham, filha de Edward Stafford, 3 Duque de Buckingham, aparece tendo um affair com Charles Brandon, 1 Duque de Suffolk. Logo depois, ela é chamada Anna Hastings e aparece tendo um affair com Sir William Compton e morrendo da doença do suor logo após a morte dele.
Correção:
Seu nome na verdade, é Anne Stafford, Lady Hastings. Ela foi esposa do Conde de Huntingdon e irmã do Duque de Buckingham, não sua filha. Seu suposto affair em 1510, foi com Henrique VIII, embora também houvesse rumores de um envolvimento com William Compton. Tais rumores devem-se ao fato de que em meados de 1522, Compton a colocou em seu testamento para o recebimento de terras em seu nome. Segundo registros, Buckingham também chegou a flagrar Compton nos aposentos de Anne.

Erro 9:
Richard Pace, secretário do rei, sofre um enquadro do Cardeal Wolsey e é enviado para a Torre, onde acaba por ficar louco.
Correção:
Pace era um respeitado diplomata inglês, e, naquela época, estava atuando no continente como agente de Wolsey. Não existem registros históricos dele ter sido envido à Torre de Londres. Ele foi autor de alguns trabalhos literários notáveis, dentre eles, De fructu (Basileia, 1517), e faleceu em decorrência de uma enfermidade em 1536.

tve65036-1786-20070429-0.jpg
Thomas Tallis

Erro 10:
O músico Thomas Tallis junta-se à Capela Real muito cedo em sua vida e carreira.
Correção:
Não sabemos a verdadeira data de nascimento de Thomas. Alguns historiadores especulam que ele nasceu em meados de 1505 ou 1510. Ele foi indicado para instalar-se a serviço do Rei, sendo nomeado como um Cavalheiro na Chapel Royal (Capela Real), em 1543, ou seja, bem mais tarde na vida. No entanto, é necessário frisar que, a primeira data definitiva marcando o início da carreira musical de Tallis é 1532, quando foi nomeado organista do Priorado Beneditino em Dover. Em 1537 ele teve seu segundo trabalho, como organista em St Mary-le-Hill em Billingsgate, Londres, e depois, na Abadia de Waltham também na cidade, local onde ficou até sua dissolução, em 1540. Depois dessa data, ele foi para a Catedral de Canterbury, atuando como funcionário leigo.

Erro 11:
Thomas Tallis teve um breve e trágico affair com William Compton.
Correção:
Sabemos muito pouco sobre a vida e trajetória de Thomas Tallis antes do momento em que este foi nomeado organista no Priorado em Dover. Sabemos no entanto, que por volta de 1552, Thomas desposou uma mulher de nome Joan. Eles aparentemente não tiveram filhos e permaneceram casados até sua morte, em 1585. É muito pouco provável que ele tenha sequer conhecido Compton, ficado a sos com ele e tampouco tido algum tipo de relacionamento de natureza mais íntima.

Erro 12:
Elizabeth Blount casou-se quando deu à luz Henry Fitzroy.
Correção:
Elizabeth Blount deu à luz Henry em 1519, mas casou-se com Gilbert Tailboys (união arranjada por Henrique VIII) apenas em 1522.

Erro 13:
Ana Bolena não tinha outro pretendente que não fosse Thomas Wyatt.
Correção:
Não sabe-se se Ana Bolena teve de fato algum envolvimento com Thomas Wyatt, sendo que, alguns historiadores consideram tal acontecimento altamente improvável (explicaremos isso mais adiante). No entanto, Ana possuiu dois pretendentes antes de desposar Henrique VIII.
De acordo com William Cavendish, que estava a serviço de Cardeal Wolsey, Ana Bolena e o jovem Henry Percy, herdeiro do Conde de Northumberland, tiveram um ”romance secreto’’ e planejavam se casar. No entanto, quando Wolsey descobriu a relação, ele repreendeu Percy e enviou-o para seu pai. Ana foi banida da corte por um tempo e Percy acabou por casar-se com sua prometida, Lady Mary Talbot, filha do 4 Conde de Shrewsburry, em 1524.

Ana também quase tornou-se uma Condessa irlandesa, quando em 1522, retornou da França para desposar seu primo, James Butler. Esta união iria por fim a uma disputa do condado de Ormond, reivindicado por Sir Thomas Bolena e pelo pai de James, Piers Butler. Tempos depois a proposta foi abandonada.

Erro 14:
Henrique VIII não usa barba (embora a partir da segunda temporada ele passe a usar).
Correção:
A famosa barba ruiva por fazer de Henrique VIII foi um dos símbolos do monarca e aparece em várias pinturas suas desde meados de 1520.

Erro 15:
Carruagens eram usadas pela corte.
Correção:
Embora existissem carruagens desde os tempos antigos, no período Tudor elas não eram muito utilizadas, pois eram barulhentas e desconfortáveis. Na Inglaterra do século XVI, eram usados transportes semelhantes à carruagens, chamados whirlicote, além de cavalos e liteiras.
As carruagens usadas na série eram modelos do século XIX, uma vez que não apenas possuíam molas (que não eram usadas no período Tudor), como também pneus de borracha e janelas de vidro. As carruagens da série em nada se parecem com um whirlicote, e seu uso foi tão anacrônico como substituir uma carruagem vitoriana por uma Ferrari.

Erro 16:
A princesa Maria Tudor tem aproximadamente 6 anos em 1528.
Correção:
Em 1528, Maria contava com 12 anos de idade.

Erro 17:
Referem-se à Ana Bolena como “Lady Ana” quando ela e sua irmã ainda estão na corte francesa e quando ela aparece pela primeira vez na Corte de Henrique VIII. Em episódios posteriores, ela é referida também como ”Senhora Bolena’’ (Mistress Anne).
Correção:
Quando Ana estava na corte francesa e mais tarde quando estava na corte inglesa, o título apropriado que seria conferido a ela era o de ‘’mistress’’, ”senhora’’Bolena. Ela não tornou-se Lady Ana até que seu pai foi nomeado Lord Rochford, momento em que teria sido equivocado e ofensivo referir a ela como ”senhora Bolena’’.

Erro 18:
No episódio 01, o tio de Henrique VIII, ”Courtenay’’é assassinado em Roma por agentes franceses.
Correção:
Henrique VIII não tinha tios (legitimados) vivos (apenas um tio bastardo). Seu pai, Henrique VII não teve irmãos e os irmãos de sua mãe, Eduardo e Ricardo, ficaram conhecidos como os Príncipes na Torre, que desapareceram em 1483.
William Courtenay era casado com a tia materna de Henrique VIII, Catarina de York. Ele morreu de pleurite em 1511. Ele nunca foi embaixador na Itália.

Nota:
O avô paterno de Henrique VIII, Eduardo IV, tinha um filho ilegítimo. Arthur Plantageneta, Visconde Lisle. Embora o marido de sua tia, fosse seu tio agregado, ele definitivamente não foi assassinado.

Erro 19:
Ana Bolena foi a musa que inspirou muitos dos maiores poemas de Thomas Wyatt, incluindo “And wilt thou leave me thus?” e “They flee from me. that sometime did me seek.”
Correção:
Como todo poeta da Corte Tudor Henricana, Wyatt na realidade admirava algumas mulheres e fazia uso do inofensivo amor cortês. Apenas alguns de seus poemas são geralmente aceitos por estudiosos como tendo sido escritos sobre Ana Bolena. Um deles é o famoso “Whoso list to hunt” e o outro, refere-se à Ana como ”Brunet’’.

Erro 20:
Henrique VIII aparece jogando xadrez com Thomas Bolena, Conde de WIltshire e perguntando sobre o Rei da França – especificamente sobre suas pernas.
Correção:
Esta conversa nunca aconteceu com Thomas Bolena, mas, na realidade, com Pasqualido, um embaixador veneziano, em 1515.

Erro 21:
A rainha Claude da França é uma bela mulher que atrai a atenção de Charles Brandon, em 1528.
Correção:
Registros sobre Claude a descreveram como tendo sido pouco atraente. Ela tinha escoliose e morreu em 1524. Charles Brandon flertou com Margarida da Áustria, regente dos países baixos. No entanto, é muito pouco provável que tais flertes tenham estendido-se além do costumeiro amor cortês.

Tudors-thomas-boleyn_(1).jpg
Thomas Bolena na série The Tudors.

Erro 22:
Nos primeiros episódios, Thomas Bolena é referido como sendo de uma ‘’família antiga’’.
Correção:
Na realidade, os Bolenas eram novos ricos, conhecidos por terem feito bons casamentos. A esposa de Thomas Bolena, Elizabeth, era irmã do Duque de Norfolk, e portanto, membro da importante família Howard.

Erro 23:
Henrique VIII parecia ser ainda muito jovem quando apaixona-se por Ana Bolena, enquanto sua esposa Catarina, estava na meia idade.
Correção:
Na verdade, Henrique estava em seus trinta anos quando se apaixonou por Ana. Catarina era 6 anos mais velha que Henrique, e portanto, tinha por volta de 40 anos na época. Quanto à Ana, ela poderia estar na adolescência ou meio dos vinte anos, se você aceitar 1501 ou 1507 como seu ano de nascimento.

Erro 24:
O irmão de Ana, George Bolena não é muito mencionado na primeira temporada.
Correção:
Naquele período da vida de Ana Bolena, a figura de seu irmão George esteve muito presente e ambos eram muito próximos.

gw624h352
Catarina de Aragão na série The Tudors.

Erro 25:
Catarina de Aragão tem cabelos escuros.
Correção:
Catarina de Aragão tinha cabelos ruivos e olhos azuis. Ela era descendente de John de Gaunt, filho de Eduardo III da Inglaterra. Catarina descendia de John através de 2 de seus três matrimônios, com Branca de Lancaster e Constança de Castela.

Erro 26:
Henry Fitzroy nasce na época em que o Duque de Buckingham é executado.
Correção:
Henry Fitzroy nasceu em 1519, enquanto que o Duque de Buckingham foi executado em 1521.

Erro 27:
Edward Stafford, 3 Duque de Buckingham tenta esfaquear Henrique VIII e por isso é executado.
Correção:
Ele foi preso e executado com base em acusações provavelmente infundadas de que ele tentou profetizar a morte do rei.

Erro 28:
A irmã de Henrique VIII, a Duquesa de Suffolk, morre de tuberculose enquanto Henrique ainda está tentando obter o divórcio de Catarina de Aragão.
Correção:
Maria Tudor morreu no verão de 1533, pouco após a coroação de Ana Bolena.

Erro 29:
Henrique VIII comemorou o nascimento de seu filho, disparando um mosquete flintlock.
Correção:
Este tipo de mosquete não foi inventado até 1630, um século mais tarde. Se Henrique quisesse disparar uma arma, teria sido uma matchlock ou possívelmente uma wheelock.

Erro 30:
O Palácio de Whitehall é mostrado como sendo o lar de Henrique VIII desde o início da série.
Correção:
O Palácio de Whitehall foi utilizado como uma das moradias de Henrique VIII apenas após 1530, quando ele retirou-o da posse do Cardeal Wolsey. Até esse período, o local foi chamado de Palácio York, ou York Palace. Ele apenas seria chamado Palácio de Whitehall uma década depois.

Erro 31:
O papa Alexandre é retratado como estando em seu leito de morte em 1520, época do evento do Campo do Pano de Ouro entre Henrique e Francis. O cardeal Orsini é descrito como sendo eleito após a morte do Papa.
Correção:
O Papa naquela época era Leão X. Ele morreu repentinamente no final de 1521. Não houve um Papa chamado Alexandre desde 1503, antes do reinado de Henrique VIII.
O sucessor do Papa Leão X foi Adrian de Utrecht, e após sua morte apenas um ano depois, o Cardeal Medici assumiu o papado, ficando conhecido como Papa Clemente VII. Foi ele quem se recusou a permitir o divórcio de Henrique.

Erro 32:
Thomas Tallis aparece tocando um órgão de tubo no episódio 7. À medida que a câmera contorna o instrumento, ele aparece com todos os registos parados na mesma posição. Tallis então pede para ficar sozinho e aparece brevemente em pé sobre a pedaleira do órgão.
Correção:
Os organistas Tudor não poderiam tocar sozinhos, uma vez que qualquer órgão, independente do tamanho, teria exigido ao menos uma outra pessoa para bombear o fole em um período em que os sopradores elétricos ainda não existiam. Da mesma forma, o instrumento representado não poderia fazer nenhum som com todos os registos claramente parados na mesma posição. Também não há evidências de um órgão com pedaleira na Inglaterra até o final do século XVII ou XVIII.

Erro 33:
A mulher de nome Joan, que Thomas Tallis conhece no episódio 7, morre pouco tempo depois, vítima de Suor Malígno; logo depois, ele corteja sua irmã.
Correção:
Thomas Tallis, conforme mencionado no início do artigo, desposou uma mulher de nome Joan. Eles foram casados por mais de 30 anos, e ela sobreviveu a ele por mais quatro anos.

Erro 34:
No episódio 7, uma epidemia de Suor Maligno faz com que as pessoas na Corte fujam para o campo. Foi notado que a doença atingiu Oxford e Cambridge. Sir William Compton contrai a enfermidade e vem a falecer.
Correção:
Houve cinco graves epidemias de Suor Maligno na Inglaterra durante o período Tudor. A pior de todas ocorreu no final de Maio de 1528, sendo uma pandemia que espalhou-se para a Escandinávia, Rússia, Holanda, Polônia, Lituânia e Suíça. A doença estava tão descontrolada em Londres, que Henrique VIII moveu sua corte em constantes expedições durante o ano, a fim de evitar ficar exposto a um possível contágio. Sir William, na verdade, morreu vítima do surto de 1528. No entanto, a epidemia que atingiu Oxford e Cambridge, ocorreu em 1517.

Erro 35:
Thomas Cromwell encontra-se com Ana Bolena e dá-lhe uma cópia do livro ”The Obedience of the Christian Man’’ de William Tyndale, que diz, “um amigo mútuo, um Sr. Fish, enviou-me um presente para você…” Cromwell reconhece Ana como uma reformista e diz-lhe para manter o livro escondido. Ana mostra o livro a Henrique VIII no episódio 9, dando-lhe mais confiança para ultrapassar a autoridade papal.
Correção:
O responsável em ajudar Ana Bolena com a anulação do casamento de Henrique com Catarina, foi Thomas Cranmer. Cranmer deu o apoio aos Bolena, após reunir-se com eles no final de 1528. Embora Ana tivesse adquirido literatura com tal conteúdo, de autores como Tyndale, Francis Denham e Simon Fish (provavelmente o Sr Fish a quem Cromwell referiu-se na série), não sabemos de fato qual foi sua religião. Alguns historiadores ingleses defendem que ela foi uma reformista, enquanto outros, como G W Bernard argumentam que Ana Bolena foi uma católica convencional, utilizando a reforma como plataforma política para alcançar seus ideais, e enfatizando que seu patrocínio aos bispos evangélicos poderia ter mais a ver com o apoio destes ao divórcio de Henrique VIII, do que com os avanços de suas doutrinas. É também, segundo a maioria dos historiadores, extremamente duvidoso que Ana tenha impulsionado diretamente Henrique VIII a romper com Roma.

Erro 36:
No episódio 5, Henry Fitzroy é feito cavaleiro da Jarreteira, Duque de Richmond, Somerset, e Conde de Nottingham, tudo aos 3 anos de idade. Catarina de Aragão pergunta a Wolsey se estes títulos para o filho bastardo do rei, rebaixariam a Princesa Mary na linha de sucessão. Wolsey responde afirmativamente e também diz a Catarina que Mary está sendo mandada embora para Ludlow, onde terá sua própria casa. Catarina observa que este é um plano de Wolsey para separá-la de sua filha.
Correção:
Uma vez que a série matou o personagem de Henry Fitzroy antes do tempo, seus títulos foram concedidos mais cedo do que ocorreram na vida real. Fitzroy recebeu o título de Cavaleiro da Jarreteira aos seis anos de idade, em 1525. Quase dois meses depois, ele recebeu os títulos de Conde de Nottingham e Duque de Richmond (títulos que Henrique VII possuiu antes de ser rei). Ele também tornou-se Almirante da Inglaterra, Irlanda e Normandia, bem como mais tarde, Tenente da Irlanda. Quando ele morreu, aos 17 anos de idade, Fitzroy contava com uma renda que o tornou o homem mais rico da Inglaterra depois do Rei. Apesar de ter recebido o título de seu avô de Duque de Richmond, o enobrecimento de Fitzroy em 1525, não foi significativo o suficiente a ponto de rebaixar a posição de Mary como a seguinte na linha ao trono. A razão pela qual Mary foi enviada a Ludlow não foi devido as conspirações de Wolsey contra Catarina, mas porque Henrique VIII a havia feito Princesa de Gales em 1526, e ela foi enviada para responder pelo principado, sendo a primeira e única mulher a fazê-lo em seu próprio direito. As políticas de gênero adotadas por Mary durante este período, serviriam de base para seu reinado anos depois.

Erro 37:
Henrique VIII, Maria/Margaret Tudor, Catarina de Aragão e a Princesa Maria são mostrados com cabelos loiros ou castanhos.
Correção:
Todos eram ruivos. Henrique VIII e Catarina de Aragão eram conhecidos por seus cabelos ruivos (o de Catarina, proveniente de sua linhagem Trástamara e o de Henrique VIII, herdados de sua mãe, Elizabeth de York), peles extremamente alvas e olhos azuis (os de Catarina, descritos como muito claros).

Erro 38:
Quando Henrique VIII pergunta à Bessie Blount sobre como seu marido sentia-se em relação aos seus encontros amorosos com ele, ela respondeu-lhe que ele a havia ameaçado de enviá-la a um convento.
Correção:
Foi Elizabeth Fitzwalter, uma das primeiras amantes de Henrique VIII, que foi realmente enviada para um convento após seu marido suspeitar que ela estava dormindo com o rei. Na época, Catarina de Aragão estava grávida de seu segundo filho, um menino de nome Henrique, que morreria pouco mais de um mês após seu nascimento.
Elizabeth Blount casaria-se apenas após seu affair com o rei.

Erro 39:
No segundo episódio da série, Henrique, Worsley e o resto de sua Corte vão para a França assinar o ”Tratado da Paz Perpétua e Universal’’ no Palácio das Ilusões, construído pelos operários de Francis I. O Tratado não apenas criaria uma aliança anglo-francesa entre Henrique e Francis, como também permitiria a criação de “instituições pan-europeias” e um conjunto de regras em estilo OTAN, onde os violadores da paz seriam rejeitados como beligerantes.
Correção:
O evento aludido pelo episódio é o do Campo do pano de Ouro, que ocorreu durante três semanas no mês de Junho de 1520, nas cidades francesas de Guines e Ardres. O nome do evento tem sua origem devido aos pavilhões do local, que foram construídos com tecido de ouro. A reunião não resultou em uma aliança entre a França e a Inglaterra, uma vez que nenhum tratado foi assinado e muito menos um que prometia a “paz universal e perpétua” na Europa. O tratado mostrado na série, assemelha-se mais ao Tratado de Londres, de 1518, que foi um pacto de não violência desenvolvido por Wolsey. O conceito “pan-europeu” é relativamente moderno, nascido da criação da Comunidade Européia em 1957 e da União Européia, em 1993. Haviam exemplos anteriores de intergovernamentalismo na Europa antes do século XX, mas eles não foram apoiados ou idealizados por Henrique VIII.

Erro 40:
Durante a primeira temporada, fanfarras de trombetas são escutadas a todo momento em que o Rei entra em um salão.
Correção:
A trombeta daquela era, uma corneta, não tinha válvulas como as trombetas modernas, além de possuir estrutura diferenciada. Isso significa que o som não era tão brilhante e limpo, ou em perfeita sintonia. Os intervalos também eram muito curtos e frequentes para serem tocados sem válvulas. Além disso, a fanfarra tocada é um amálgama – baseado na peça l’Orfeo de Monteverdi (1605) e no primeiro Trompete Voluntário de Purcell (datado do final do século XVII).

Erro 41:
Thomas More sentencia Simon Fish, autor do livro ”Supplication for the Beggars’’ à morte e o assiste ser queimado vivo.
Correção:
Simon Fish foi preso sob acusação de heresia, mas morreu antes de seu julgamento, na prisão, em 1531, de peste bubônica. Em novembro de 1531, um vendedor itinerante de livros, de nome Richard Bayfield, foi queimando, sendo sua morte similar a execução fictícia de Fish na série The Tudors (ele rezou em inglês enquanto foi queimado). Thomas More havia mandado 4 pessoas à morte por fogueira e não seis conforme é mencionado na série, e Fish não estava entre elas. More também prendeu outras 40 pessoas por heresia. No entanto, é necessário ressaltar que, Thomas More realizou as prisões, porém, os julgamentos destas pessoas eram realizados pelo tribunal religioso, no qual ele não tinha envolvimento.

Erro 42:
Henrique VIII compõe a balada Greensleeves sobre sua frustração amorosa com Ana Bolena.
Correção:
Ao contrário da crença comum, não foi Henrique VIII quem compôs a balada Greensleeves. Ela foi composta em um arranjo em estilo italiano, muito apreciado na Inglaterra elisabetana e portanto, posterior ao seu reinado. Alguns historiadores da música acreditam que a balada escrita, retrata um homem apaixonado por uma prostituta.

captura-de-tela-2017-02-01-as-00-29-25
Joan e Jane

Erro 43:
As irmãs gêmeas Joan e Jane surpreendem George Bolena ao realizarem uma pose de nu bastante conhecida.
Correção:
Esta pose foi realmente tirada de uma pintura que retrata Gabrielle d’Estrees, a amante de Henrique IV da França, com sua irmã beliscando seu mamilo direito. A pintura, datada de 1594, foi intitulada ”Gabrielle d’Estrees et une de ses souers”, e foi pintada por um artista desconhecido. Ela foi feita muito depois da época em que as duas irmãs em The Tudors poderiam tê-la usado como referência cultural.

Erro 44:
Catarina de Aragão reza em inglês.
Correção:
As orações católicas eram feitas em Latim. Mudá-la para a língua vernácula (língua própria de um país) seria um dos principais passos da Reforma Protestante. Esta característica permaneceria na igreja católica até o Segundo Concílio do Vaticano (1962-1965), quando a Igreja formalmente aprovou que a missa fosse realizada em língua vernácula.

Erro 45:
Na primeira temporada, Henrique recebe de presente do Duque de Milão, o livro ”O Príncipe’’ de Maquiavel.
Correção:
Embora Maquiavel tenha escrito a obra em meados de 1512, ela não foi publicada até 1532, e é altamente improvável que Henrique tenha recebido uma cópia da mesma, antes da década de 1530.

Erro 46:
No início da série Henrique apaixona-se por Ana Bolena tendo a encontrado em um baile de máscaras organizado por seu pai. Ele se alegra depois, ao saber que ela iria para a Corte como uma das damas de companhia de sua esposa. Ana rapidamente torna-se uma das assistentes mais íntimas da rainha, sendo vista lavando seus pés e estando quase sempre ao seu lado.
Correção:
Na verdade, Ana Bolena estivera na Corte a serviço da rainha por alguns anos antes de Henrique passar a notá-la. Embora Henrique e Ana tenham participado de um baile de máscaras, não há registros de que o monarca tenha prestado alguma atenção especial a ela nesta época. Ele provavelmente ainda estava envolvido com sua irmã, Maria Bolena.
Além disso, se Ana realmente fosse recém-chegada à Corte como a série alega, é improvável que ela se tornasse uma dama de tão alto escalão da rainha tão rapidamente. Normalmente, apenas após anos de um serviço bom e dedicado à rainha, é que a dama de companhia era elevada ao status de uma atendente pessoal e confiável.

Erro 47:
Henrique VIII usa o Salão de Banquetes (Banqueting Hall) do Palácio de Whitehall para recepções, e etc.
Correção:
Na realidade, o Banqueting Hall foi projetado por Inigo Jones para o monarca James I, em meados de 1610.

Erro 48:
Em um episódio posterior, Henrique caminha com Ana Bolena em um jardim e passam pela estátua da Vênus de Milo.
Correção:
A Vênus de Milo foi descoberta na ilha de Melos, no Mar Egeu, em meados do século XIX.

Continua…

Fontes:
Tudor Wiki: AQUI.

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Bem interessante!! Ansiosa pela continuação!

  2. Ludmila Andrade disse:

    Adorei!!! Esperando a continuação 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s