Uma Breve História do Dia das Bruxas

Uma vez que o dia 31 de outubro se aproxima, muitas pessoas em várias partes do mundo estarão mais uma vez comemorando o Dia das Bruxas com o que tornaram-se atividades tradicionais – abóboras esculpidas, doces ou travessuras e fantasias.

Muitas pessoas acreditam que este seja um festival americanizado, mas você já percebeu que a maioria das atividades associadas à esta data estão enraizadas no folclore e na tradição européia?

A abóbora esculpida em uma lanterna, por exemplo, é certamente uma criação americana, mas, literalmente, tem suas raízes no outro lado do Atlântico, onde durante séculos as pessoas costumavam esculpir nabos e outros vegetais para afastar os maus espíritos.

Halloween:

symbols-of-samhain-and-halloweenO moderno Dia das Bruxas é amplamente conhecido por ter se originado a partir do antigo festival celta de Samhain, realizado em 1 de Novembro, data que marca a transição do outono para o inverno. As pessoas acreditavam que nesta época do ano o véu entre o mundo dos vivos e mortos tornava-se mais fino, e era quando as almas dos mortos podiam vagar e visitar suas antigas casas.

Na era do cristianismo, tal tradição tornou-se anexada a celebração do Dia de Todos os Santos, realizada em 1 de Novembro, dedicada a homenagear todos os santos e mártires, e 02 de novembro tornou-se o Dia de Finados, um dia para honrar os mortos.

Nesta época, muitas das tradições celtas, como fogueiras, desfiles e fantasias, misturavam-se com as celebrações cristãs a fim de tornar tais festividades aceitas e até mesmo incentivadas por autoridades da igreja.

O Dia de Todos os Santos mais tarde ficou conhecido como “All-Hallows” e por isso, a noite anterior passou a ser conhecida como “All-Hallows Eve”. Foi deste termo que surgiu o nome ‘Halloween’. O nome foi dado para marcar o início da festa que era comemorada em toda a Europa no início da Idade Média, e permaneceu mesmo quando as celebrações religiosas caíram em desgraça nos séculos posteriores.

Jack, o lanterneiro:

hungry-history-the-halloween-pumpkin-an-american-history-eAcredita-se que a prática de decorar “As Lanternas de Jake” tenha tido sua origem em um conto popular irlandês sobre um homem chamado Jack Amaldiçoado, que passava todo o tempo vagando pela terra, com apenas um carvão em brasa (dentro de um nabo esculpido) para iluminar o caminho, como punição por tentar enganar o diabo.

O povo das Ilhas Britânicas usavam nabos, ou às vezes beterrabas e batatas, para fazer suas próprias versões dessas lanternas, ou seja, esculpir rostos assustadores nelas e colocá-las perto de portas ou janelas para espantar Jack e os outros espíritos malignos errantes.

Durante o século XIX, os imigrantes que chegaram aos EUA levaram estas tradições com eles, e rapidamente descobriram que as abóboras – um fruto nativo americano -, eram muito mais fáceis de esculpir em elaboradas formas para fazer as perfeitas “Lanternas de Jack.

Doces ou Travessuras:

halloween-candyA forma moderna de “doces ou travessuras”, provavelmente também tem suas origens na era medieval. Por volta desta época do ano, geralmente pouco antes do Dia de Finados, os membros mais pobres da sociedade iriam de porta em porta e recebiam alimentos (frequentemente doces ou os chamados ‘bolos da alma’, que eram assados especialmente para eles), em troca da promessa de orar pelos parentes mortos do doador. Estas práticas eram incentivadas pela igreja e ficaram conhecidas como ‘indo pelas almas’.

As tradições de usar fantasias também estão ligadas a esse costume, especialmente na Escócia, onde era conhecido como ‘guising’. Como muitos desses costumes, o uso de fantasias tinha suas raízes na superstição, pois as pessoas usavam máscaras ou fantasias para evitar serem reconhecidas por seres malignos, ou para aplacar fantasmas e espíritos que acreditavam cruzar no mundo físico nesta época do ano.

Histórias de Fantasmas:

141031212700_halloween_promo_640x360_epa_nocreditContos sobre espíritos e fantasmas que retornam dos mortos para assombrar lugares e pessoas que deixaram para trás, há muito tem recebido destaque no folclore de várias culturas em todo o mundo. Histórias como estas estiveram no centro das primeiras celebrações Samhain e do Dia de Todos os Santos, e muitas das superstições tornaram-se costumes desta época do ano.

Existem histórias de espíritos e fantasmas em culturas de todo o mundo, e não necessariamente ligadas à época do Hallowee; na Europa os supostos limites entre a vida e a morte no final do outono, provavelmente encorajaram essas crenças e contos. Até mesmo a igreja católica tinha suas próprias histórias de fantasmas, muitas vezes enfatizando a moralidade e a necessidade de viver uma vida boa e Cristã, e esses contos, por sua vez faziam parte do festival de Dia de Finados.

halloween-1918Nos tempos medievais posteriores, e em particular durante o movimento gótico vitoriano, os contos sobre fantasmas e espíritos tornaram-se frequentemente ligados a eventos e locais violentos e, com base nos exemplos como o destino do pai de Hamlet em Shakespeare, e os muitos relatos e contos sobre a alma inquieta de Ana Bolena depois de sua execução.


Fontes:

http://blog.english-heritage.org.uk/history-of-halloween/

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s