As Tabuletas de Maldição Celtas

Os Celtas foram um povo nativo do continente europeu e que viviam em diversas tribos. Espalharam-se por toda a Europa, da Península Ibérica até a Turquia, da Grã Bretanha e Irlanda até a França. Eles possuíam na figura do Druida um arquétipo de todo o conhecimento, fosse ele de natureza histórica, material ou cultural/mágica.

No mundo Antigo o uso das Tabuletas ocorria para inúmeras finalidades; política, maldições designadas a alguns grupos ou pessoas específicas, entre outros. É necessário ressaltar que longe do maniqueísmo cristão do bem vs. mal, luz vs. trevas, Deus vs. Lúcifer, o mundo da antiguidade contava com uma legião de Deusas e Deuses e a eles eram pedidas diversas coisas, tudo dentro de uma lógica altamente complexa de sentimentos e consciência, longe da dualidade cristã.

Quando alguém ou um grupo de pessoas sentia-se prejudicado e sem respaldo político, recorriam aos Defixios (como também eram conhecidas) e a outras praticas mágicas para que a justiça fosse executada. Este tipo de prática era muito comum na Grécia, Roma, Egito antigo e acabou chegando, também, ao mundo celta.

Veremos três Defixios diferentes: A Tabuleta de Larzac, A Tabuleta de Chamarlièrs e as Tabuletas de banho de Bath.

Tabuleta de Larzac – Mulheres de Larzac:

Captura de Tela 2016-05-24 às 13.24.59
A Tabuleta galesa de Larzac, foi encontrada em 1983, próximo ao L’ Hospitalet Du Larzac, em Aveyron, sul da França.

Sua datação gira em torno do ano 100 D.C e é considerado o texto gaulês mais longo e bem conservado, possuindo cerca de 1000 letras e 160 palavras (algumas palavras ao final do texto estão perdidas, ou seja, a indicação é de que seja um texto ainda maior).

Apesar do texto ainda não ter sido completamente traduzido, é consenso que o cunho da inscrição é ritualístico, sendo por isto, considerada uma maldição direcionada de um grupo de mulheres feiticeiras contra outro.

A Tabuleta Larzac foi encontrada em uma escavação na Necrópole de La Vayssièrre; este fato não é estranho às maldições, já que acreditava-se que as tumbas eram portais de acesso ao mundo mágico e ao contato com deidades que eram necessárias para a execução da Tabuleta. Este procedimento já era muito comum no mundo místico/ritualístico Greco-Romano.

Outro ponto interessante da Tabuleta, é o sincretismo do mundo celta/gaulês e romano já no fim do século I. A bruxa que era o alvo principal da maldição, foi nomeada “Severa Tertionicna”. O primeiro nome, ”Severa”, possui notoriamente influência romana, enquanto que no segundo, o “Tertio” segue a mesma lógica do primeiro nome, e seu sufixo “icna” segue a linha gaulesa de nomeação.

O texto é uma maldição à Severa Tertionicna e presume-se, seu grupo de seguidoras. A deusa principal a ser mencionada é Adgagsona. Elas são reconhecidas como “filha de”, “mãe de”, “senhora de”, entretanto, nada disto indica necessariamente uma estrutura familiar, mas pode remeter à uma estrutura do próprio grupo de mulheres a quem está sendo direcionada tal maldição.

1. Bano[na] Flatucias
2. Paulla dona Potiti[us
3. Aia duχtir Adiegias
4. Potita, m[atir] Paullias
5. Seuera du[χtir] Valentos do(n)a Paulli[us]
6. Adiega matir Aiias
7. Potita dona Primius […] Abesias
[8. Eiotinios?]
9. Ruficna Casta dona [Ba]nonus

10. Diligentim Vlationicnom
11. Aucitioni(m) materem Potiti
12. Vlatucia mat[ir] Banonias

A Tabuleta de Larzac foi quebrada em duas partes, provavelmente antes do próprio ritual. Nela pode-se compreender a natureza de tal ataque a este grupo de mulheres e por fim, como estas, foram orientadas a “neutralizar” a magia direcionada à elas.

Uma das possibilidades* de tradução de uma parte da Tabuleta é:

Insinde se                                                        
Bnamon bricton                                                         
Eianom anuana sananderna                       
Bricton vidluias vidlu —-tignotias so.

Contemple
A magia das mulheres          
Seus nomes especiais do mundo inferior
A profecia do vidente que tece esta magia.

A possível tradução do restante:

”Clamor da deusa do submundo Adsagsona para performar um feitiço de amarração** contra as mulheres que deixaram o grupo”.

Nota interessante: A banda de folk metal suíça, Eluveitie, possui em seu repertório, uma música intitulada “A Girl’s Oath” (O juramento de uma menina) que nada mais é, que a versão musicada da Tabuleta Larzac. Em realidade, o álbum inteiro, intitulado ”Invocation”, aborda o assunto; a música Brictom também teve parte da tabuleta em sua letra.

Ouçam:

* Não existe tradução oficial para a Tabuleta de Larzac, por isto foi utilizada a palavra “Possível” para sua tradução.

 * O texto foi traduzido da língua original para o inglês e deste, para o português, logo, preferi utilizar o termo “amarração” – por ser comum à lógica da linguagem mágica -, do que qualquer outro sinônimo que não encaixaria-se devidamente na ideia do texto.

Artigo escrito por Jéssica Melo Prestes.

CONTINUA…

 

 

        

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s