12 Construções em uso atualmente, que estavam em pé quando Ricardo III estava no trono

059A incongruente visão de um Rei medieval sendo levado para seu enterro em um cortejo moderno quase motorizado, mostra o quanto o passado ainda mantém um poderoso impacto sobre o presente. Com os restos mortais de Ricardo III sendo transportados em Leicestershire, 530 anos após sua morte em batalha, é interessante comentar, que ainda podem haver vestígios de uma paisagem que ele talvez reconheceria – mesmo que poucos. Mais raro ainda, seriam os edifícios que ficavam em seu reino.

Aqui estão 12 construções que ainda permanecem em uso na Grã-Bretanha atual e que teriam sido utilizadas, quando Ricardo III estava no trono (e antes de Colombo atravessar o largo oceano azul). Na realidade, ele teria considerado muitas delas, antigas até para seu período.

1 – Saltford Manor House, perto de Bath, Somerset:

Saltford-Manor-HouseSaltford Manor House, reivindica o título de mais antiga casa continuamente ocupada da Grã-Bretanha. Ela tem detalhes, especialmente nas janelas ornamentadas, que datam de 1148 aprox., a mesma data do término de construção da Catedral de Hereford, que tem características Normandas semelhantes. Acredita-se que inicialmente, a casa consistia em um grande quarto individual por andar, com uma câmara abobadada no piso térreo. Sua remodelação, foi realizada no século XVII. As características importantes da casa, incluem um raro fragmento de uma pintura medieval e uma janela normanda no quarto principal.

2 – The Manor – Hemingford Grey, Cambridgeshire:
The-Manor-Hemingford-Grey (1)
Construída  em 1150, a casa é também uma das mais antigas continuamente habitadas na Bretanha e muito de sua estrutura original, permanece intacta – apesar das muitas mudanças nos últimos 900 anos. A mansão foi iniciada por Payn Osmundson, um tenente da rica família ”de Vere”, que recebeu grandes doações de terras de William o Conquistador, incluindo a área em Hemingford Grey. Ela foi modernizada no período Tudor e novamente no século XVIII. A atual dona, Diana Boston, disse: “A pretensão de fama desta casa, é que ela foi construída como a casa de alguém e continuou sendo assim desde então. A impressão de todos quando vem aqui, é que deveria ter sido uma construção eclesiástica, mas é claro que este era o jeito que os normandos construíam seus edifícios. Eles não sabiam construir de outro modo.”


3 – The Jew’s House, Lincoln:
The-Jews-House
Construída por volta de 1150, The Jew’s House. é uma das primeiras casas de cidade, existentes na Inglaterra. Encontra-se em uma íngreme colina em Lincoln e fora associada com a próspera comunidade judaica Medieval de lá. A casa fora supostamente aprendida de um proprietário judeu durante um pogrom atiçado pelo caso de Little Saint Hugh de Lincoln em 1255. O edifício inicialmente consistia em um salão ao nível do primeiro andar, com serviço de armazenamento e espaços ao nível do solo. A fachada original sobrevivente, inclui uma porta talhada, os restos de duas janelas românicas de arco duplo e grande parte da pedra do piso superior. A chaminé ergue-se sobre o arco, por cima da porta da frente, servindo à lareira no piso superior. O edifício permaneceu continuamente ocupado até os dias atuais. Hoje em dia, ele é usado como um restaurante.

4 – Berkeley Castle, Gloucestershire:
Berkeley-Castle
O Castelo de Berkeley, é a mais antiga propriedade da Grã-Bretanha a permanecer nas mãos da mesma família (com exceção de um breve período de apropriação real pelos Tudors). A fortificação original, um castelo-de-mota, foi iniciada por William Fitz Osbern em 1067, porém os mais antigos edifícios sobreviventes e a ocupação pela família Berkeley, começou em 1150. A torre de menagem do castelo, foi construída em 1153/1156, provavelmente no sítio do ex-mota. Grande parte do resto do castelo é do século XIV. Em 1327, quando o rei Eduardo II foi deposto do trono, ele foi levado para o Castelo de Berkeley e mantido prisioneiro durante 5 meses. Ele supostamente fora assassinado lá; a história popular é que um ferro em brasa fora introduzido em seu ânus, para queimar seus órgãos internos, sem deixar marcas visíveis em seu corpo. A cela onde ele supostamente esteve em cárcere e depois foi assassinado, ainda pode ser vista (no canto superior direito da imagem).

5 – Horton Court, Gloucestershire:
Horton-Court

Horton, perto de Chipping Sodbury, é um local muito antigo e fora o sítio de um castro de fortaleza da Idade do Ferro. Horton Court, foi construído em volta de um solar que incluía um raro saguão Normando, datado de aproximadamente 1160. O corredor da casa principal, foi datado de aproximadamente 1482, pelas análises feitas nos anéis da madeira remanescente.

6 – Fyfield Hall, Essex:
Fyfield-Hall

A datação dos anéis de árvores usadas para construir Fyfield Hall, estabeleceram que elas foram cortadas durante o período de 1167-85, tornando-a  a mais antiga estrutura de madeira habitada na Bretanha. O solar, perto de Chipping Ongar, Essex, também dispõe de um poste de madeira no hall de entrada, que foi datado por carbono à partir de 880 e 985 DC – antes da conquista normanda. O atual proprietário Willy White, disse: “A maioria das vigas do telhado, estavam enegrecidas por fogo e fuligem. A construção, deve ter tido um grande salão aberto até o teto, com um chão de barro, no meio do qual eles teriam construído uma fogueira, com a fumaça vagando pelo buraco no teto. É adorável pensar que esta casa foi construída sem planejamento ou regulamentos de edifícios e está aqui depois de 1000 anos”.

O hall foi remodelado entre 1391 e 1416, mas foi feito no estilo arcaico do final de 1100, ao invés do estilo contemporâneo. Provavelmente foi feito pelo segundo Lord Scrope de Masham, para dar um ar de antiguidade ao seu solar senhorial. O corpo sem cabeça do terceiro Lord Scrope, esta enterrado na igreja local. Ele foi decapitado por Henrique V em 1415 e o Rei tomou brevemente a posse da mansão.

7 – The Old Bell Hotel, Malmesbury, Wiltshire:
The-Old-Bell-Hotel
O Antigo Hotel Bell, é o mais antigo hotel continuamente em uso na Inglaterra. Construído em 1220, ele foi originalmente usado como um local de descanso para visitantes peregrinos e estudiosos para a Abadia de Malmesbury, nas proximidades. A própria cidade de Malmesbury, também possui a distinção de ser a mais velha cidade continuamente habitada da Inglaterra. há evidências de um forte neolítico e um da Idade do Ferro na área, e foi concedida à cidade, uma Carta Régia em 880 DC pelo Rei Anglo Saxão de Wessex, Alfred o Grande.


8 – Icomb Place, Gloucestershire:
Icomb-Place
Icomb Place é uma casa senhorial medieval, na encosta da aldeia de Icomb, perto de Stow on the Wold em Gloucestershire. Uma estrutura original foi mencionada no Livro Domesday. As partes mais antigas da presente casa, datam de 1230 aprox. e incluem uma capela, solar, celeiro e um anexo, que originalmente abrigava as cozinhas e o quarto dos serventes. A frente da casa, incluindo a ponte de ameia e o Grande Salão que liga os edifícios originais do século XIII, foram adicionados por volta de 1420. A casa é incomum e os ângulos retos, parecem ter sido evitados em sua construção.


9 – 173 High Street, Berkhamsted, Hertfordshire:
173-High-Street-Berkhamsted
A verdadeira idade da loja no número 173 da Rua Berkhamsted, só foi recentemente descoberta por acaso, por construtores locais que assumiram que estavam reformando uma propriedade do século XIX. A datação dos anéis da madeira estrutural, mostraram que o edifício foi construído por volta de 1277 e 1297. No segundo andar, existe um poste com uma coroa e elementos decorativos e há evidências de que o primeiro andar original, foi projetado sobre o piso térreo. Na parte de trás da loja, existe algo que acreditam tratar-se de uma oficina, que funciona totalmente bem. O prédio está em uso por uma empresa de agentes imobiliários e possuí um apartamento acima.

10 – Three Old Arches, Chester:
Three-Old-Arches-Chester

A antiga cidade romana murada de Chester, é também o lar do que parece ser a mais antiga fachada de loja sobrevivente na Grã-Bretanha. É parte das Chester Rows em Bridge Street, o sítio de uma série de edifício Tudor, em uso até hoje. O Three Arches building, data de 1274 aprox. O nível do solo foi originalmente usado como uma habitação para animais, o nível médio como uma loja e a parte superior, como a moradia de uma família. O edifício hoje acomoda lojas nos dois primeiros níveis e escritórios no nível superior.

11 – 26–28 Cornmarket, Oxford:
26–28-Cornmarket-Oxford (1)
O 26-28 Cornmarket, na esquina de Ship Street em Oxford, é a metade sobrevivente de um edifício de madeira concluído por volta de 1386. Ele pertence ao Jesus College, Oxford e hoje abriga uma casa de câmbio.


12 – Provand’s Lordship, Glasgow, Scotland:

Exterior Provands Lordship (Oct 07)Embora Ricardo III só tivesse considerado atravessar a fronteira da Inglaterra para a Escócia, para fazer a guerra, o historic Provand’s Lordship, é um dos poucos edifícios restantes em Glasgow a existirem quando ele estava no trono. Foi construído em 1471 como parte do Hospital de St Nicholas pelo Bispo de Glasgow, e é provável que tenha sido usado como casa pelo clero e outro pessoal de apoio da Catedral de Glasgow. Ele mais tarde foi ocupado pelo Lord da prebenda de Barlanark. Hoje, a casa é usada como um museu.

FONTES:
Abroad in the yard: AQUI.

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Camila disse:

    Certa vez li em um dos artigos aqui da TB que a arquitetura alemã pode ter se inspirado na arquitetura do período Tudor. Moro em Juiz de Fora/Minas Gerais, e a cidade recebeu muitos alemães quando da sua formação. Interessante que, algumas residências lembram muito a imagem “26-28 Cornmarket”. Eu fico imaginando se tem alguma relação pois, os imigrantes alemães vieram para Juiz de Fora nos séculos XVIII e XIX.
    Adorei o artigo!

    1. Tudor Brasil disse:

      Pode ser sim, quem sabe né!? Acho linda esta arquitetura alemã no Brasil, uma obra de arte né Camila!? 🙂

  2. Abner Antunes disse:

    Muito bom o post! E que diferença das nossas construções atuais! Me deu vontade de visitar cada um desses locais pra tentar aquele teleporte histórico hehehe

    Parabéns pelo ótimo conteúdo!

    1. Tudor Brasil disse:

      É verdade Abner. Também tenho muita vontade de visitá-los. Quanta história… 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s