A Ancestralidade Tudor de Diana Princesa de Gales

dianatudor
Esta por incrível que pareça, provavelmente foi uma das árvores mais difíceis de traçar até a casa Tudor. A família Spencer é bastante tradicional e antiga na Inglaterra, mas o problema principal, foi quando entramos em sua peça-chave, Mary Croft, filha ilegítima e nunca assumida de Charles II da Inglaterra e sua amante Lucy Walter. Charles assumiu apenas o filho homem deste affair, James, ou seja, encontrar Mary, muitas vezes listada como Mary Stuart ou Taafe e sua ligação de Charles para os Spencers, foi um pouco complicado.

A questão é que graças à Mary Croft, os Spencers possuem o sangue Tudor nas veias. Filha de Charles II, que fora bisneto de Maria Stuart Rainha da Escócia, essa tênue linhagem é o que Diana carregava da dinastia.

Charles foi o primeiro Rei após o clímax da guerra civil inglesa, que começou em 1642 e a restauração da monarquia em solo britânico. Seu pai, Charles I, foi executado em 30 de Janeiro de 1649. Sua execução causou um grande peso no país, onde a monarquia foi deposta e temporariamente, tornou-se uma república. A Câmara dos Lordes foi abolida pelo Parlamento das Ancas, sendo dissolvida à força por Cromwell em 1653, que intitulou-se Lorde Protetor. Após sua morte, ele foi sucedido temporariamente por seu filho Richard Cromwell e em 1660, o parlamento foi reinstalado e a monarquia restaurada. Com a restauração da monarquia, Charles II assumiu o lugar de seu pai como Rei da Inglaterra. Charles teve muitas amantes, entre elas nomes como Margaret de Carteret, Catherine Pegge, Barbara Villiers, Nell Gwyn, Lucy Walter e muitos outros, resultando em muitos bastardos reais, algum reconhecidos por ele e outros não, tal qual o caso de Mary Croft.

Mary Croft, filha bastarda de Charles II.
Mary Croft, filha bastarda de Charles II.

Lucy Walter, sua amante que liga à nata da nobreza Tudor aos Spencers por ser mãe de Mary, foi de nobreza galesa medíocre, nascida no País de Gales. Considerada sem boa fama, porém bela, ela cativou o coração do monarca por volta de 1649, neste meio tempo, a paternidade de sua filha fora questionada durante seu breve affair com Theobald 2 Visconde de Taafe, porém mesmo Charles não reconhecendo a criança legalmente, dava o suporte necessário com as devidas pensões, tanto para ela quanto para seu irmão James.

Traçaremos a árvore genealógica de Diana, até Henrique VII, fundador da Dinastia Tudor:

Diana Frances Spencer, antiga Princesa de Gales
I
John Spencer, 8° Conde Spencer
I
Albert Edward John Spencer, 7° Conde Spencer
I
Charles Robert Spencer, 6° Conde Spencer
I
Frederik Spencer, 4° Conde Spencer
I
Lady Lavinia Bingham
I
Charles Bingham, 1° Conde de Lucan
I
Anne Vessey
I
Charlotte Sarsfield
I
Mary Croft
I
Charles II
I
Charles I
I
James I da Inglaterra e VI da Escócia
I
Maria Stuart
I
James V da Escócia
I
Margaret Tudor
I
Henrique VII – Fundador da Dinastia

É assim que Diana de Gales conecta-se com a dinastia Tudor. Espero que tenham gostado, caso tenham alguma sugestão, não hesitem em falar!

FONTES:
The Peerage: AQUI.
Collaborative Learning: AQUI.

tudors

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Elizabeh of York is ancestor of princess Diana and King Peter I of Castile is ancestor of Elizabeth of York.

  2. Shirlei Tavares disse:

    Dayna encantadora, nossa eterna Princesa! Nos encantou sua simplicidade e amor, sddes eternas nossa princesa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s