A Reivindicação de Catarina de Aragão ao trono da Inglaterra

Queen-Katherine-of-Aragon-tudor-history-31686762-1024-768Não, vocês não leram errado. Este é mais um artigo de genealogia, porém, hoje trataremos de uma questão bastante controversa, a descendência de Catarina de Aragão ao trono inglês.

Muitos historiadores, gostam de apontar, com uma pitada de humor, que a primeira esposa de Henrique VIII, a Rainha Catarina de Aragão, teria mais reivindicação ao trono inglês, do que o próprio Henrique VII, fundador da Dinastia Tudor. Claro, tudo é muito mais complexo do que mera genealogia, e envolve uma incrível cadeia política baseada em guerras e legitimações póstumas, mas mesmo assim, poucas pessoas sabem sobre este dado tão interessante.

Catarina de Aragão, descendia de João de Gaunt, por parte de sua mãe, a Rainha Isabel de Castela. Isabel, conhecida por figurar historicamente como uma das maiores monarcas da história européia, descendia de Gaunt, tanto por sua mãe, Isabel de Portugal, quanto por seu pai, João II de Castela. Pelo lado de seu pai, a monarca descendia de Gaunt e sua segunda esposa, Constança de Castela (filha de Maria de Padilha e Pedro I de Castela). Já pelo lado de sua mãe, a monarca descendia de Blanche (ou Branca) de Lancaster, uma nobre inglesa, filha de Henrique 1 Duque de Lancaster. Resumindo, Catarina descendia das duas primeiras esposas com casamento e linhagem legitimada e João de Gaunt, natural da Casa Plantageneta e fundador da Casa de Lancaster – foi a partir de seus descendentes, que os conflitos ao trono, conhecidos como guerra das Rosas, tiveram início. Catarina de Aragão, assim como sua mãe Isabel de Castela, tinham uma linhagem impecável aos olhos ingleses, pois não eram apenas uma vez legitimadas, eram duas! Algo bastante invejável no período.
Já Henrique VII, sempre foi conhecido por seus inimigos, por ter uma reivindicação frágil e questionável ao trono da Inglaterra. Porque? Simples, sua reivindicação ao trono, vinha de sua família materna, os Beauforts. A família Beaufort originou-se dos descendentes de João de Gaunt e sua terceira esposa e antiga amante, Catarina Swynford. Os filhos que João teve com sua amante, após seu casamento, foram legitimados, porém, foram em âmbito oficial, impedidos de fazerem parte da linha de sucessão ao trono inglesa. Ou seja, eles eram filhos de João, mas o trono não seria deles e sim de seus descendentes com suas primeiras duas esposas, Branca e Constança.

No momento em que Henrique VII desposou Elizabeth de York, seus problemas quanto a reivindicação de seu herdeiro, foram remediados. Elizabeth de York, filha do monarca yorkista Eduardo IV, descendia diretamente do monarca Plantegeneta Eduardo III. Unindo estas duas casas, Lancaster e York, suas reivindicações geraram um herdeiro inquestionável. A fim de assegurar mais ainda a posição de seu herdeiro ao trono, o casamento de seu filho, com a filha de uma Rainha que descendia de ambas as primeiras duas esposas de João de Gaunt, iria além de estreitar os laços com a Espanha, fornecer um herdeiro com o sangue das maiores uniões reais inglesas. Uma ideia de mestre.

Como podem ver, é por este motivo, que muitos dizem que Catarina possuía maior reivindicação ao trono inglês, que seu sogro, Henrique VII.

Para ilustrar melhor, traçarei os ancestrais de Catarina até estas duas rainhas e de Henrique, até Catarina Swynford:

Linhagens de Catarina,

1- Até Branca de Lancaster:

Catarina de Aragão
I
Isabel de Castela
I
Isabel de Portugal
I
João Infante Portugal
I
Filipa de Lancastre
I
Blanche of Lancaster e João de Gaunt.

2- Até Constança de Castela:

Catarina de Aragão
I
Isabel de Castela
I
João II de Castela
I
Catarina de Lancaster
I
Constança de Castela e João de Gaunt.

vine3
Henrique VII:

Henrique VII
I
Margaret Beaufort
I
John Beaufort – 1 Duque de Sommerset
I
John Beaufort – 1 Conde de Sommerset
I
Catarina Swynford e João de Gaunt


Bom, é isso. Espero que tenham gostado do artigo!

Tudors

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Jessica disse:

    Muito interessante o artigo! Nao fazia ideia que Catarina de Aragao poderia reinvidicar o trono ingles. Parabens pelo seu trabalho, adoro o site!

    1. Tudor Brasil disse:

      Obrigada Jéssica, fico muito feliz! Quanto a Catarina, na realidade, ela não poderia tornar-se monarca inglesa por direito; conforme disse acima, tudo é muito mais complexo do que apenas ter os ancestrais certos, a prova disso é que mesmo com sua reivindicação considerada fraca pelos ingleses, Henrique VII ascendeu ao trono inglês como monarca. Era um jogo político, fomentado por guerras, direitos sucessórios, alianças e políticas aquedas. Fiz este artigo, apenas para mostrar que Catarina possuía mais reivindicação que Henrique, mas mesmo assim, isso não a possibilitaria subir ao trono! 😉

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s