A Torre de Londres

Tower_of_London_England-WallpaperMuitos admiradores da história britânica, já devem ter ouvido falar da Torre de Londres, que é um dos edifícios mais famosos do mundo. Com a Torre Branca do século XI de William O Conquistador em seu centro e suas muitas outras torres, praticamente concluídas no reinado de Eduardo I (1272-1307), tem sido uma fortaleza, Palácio Real e até mesmo, no século XIII, abrigou uma variada gama de animais exóticos, incluindo um elefante e um urso polar que pescava no rio Tâmisa. É famosa por seus muitos corvos, as jóias da coroa, os guardas Yeoman e também, pelo supostos assassinato dos jovens príncipes na torre (dizem, que os ossos dos dois príncipes, foram encontrados dois séculos após suas mortes). Henrique VIII, foi o último monarca a investir na reparação e remodelação da Torre, e todos os monarcas da Dinastia Tudor, tiveram suas procissões, à partir da Torre, para Westminster, rumo a suas coroações.

100_9237_mid
Portão dos traidores.

A principal distinção da Torre durante o período Tudor, como muitos sabem, é que ela também, foi usada como local de execução. Muitos prisioneiros Tudor, chegavam de barco e entravam pelo portão na água, da Torre de São Tomás, agora conhecido como o ”Portão dos Traidores”(esquerda), que era alcançado através de um túnel sob o cais do rio tâmisa (principal rio de acesso em Londres). Usando como parâmetro de comparação, a Torre de Londres, foi uma prisão muito mais confortável, que a maioria das outras durante o período Tudor. Mesmo assim, ainda era uma prisão e segundo os relatos gravados em grafite na paredes da torre, era extremamente chata e entediante. Ao contrário de hoje, os prisioneiros da Torre, tinham muito mais o que temer, pois a maioria, temia, com razão, não sair vivo de seu enclaustro.

Usando grafiti como tema de discussão, existem várias bastante interessantes, adornando as paredes das Torres por séculos, como por exemplo, de Thomas Abel (Capelão de Catarina de Aragão) que desenhou seu nome e sobrenome com a letra ”A” em um sino; os irmãos Dudley, aprisionados após a tentativa de coroar Lady Jane como Rainha, que esculpiram seu brasão de armas à direita da  lareira e outro que apoiou a causa de Jane, simplesmente escrevendo IANE, etc…

A mais incrível grafiti na Torre, no entanto, foi a feita na Salt Tower, o entalhe de uma esfera ou relógio astrológico e uma inscrição para Hugh Draper, preso e acusado de bruxaria em 1561.

astro_inscription
Relógio astrológico.

Um dos muitos prisioneiros da Torre, foi o jesuíta Henry Walpole. Sua história, lembra-nos o porque a Torre era um local tão temido no século XVI, ela também, servia como local de tortura. Mesmo assim, a tortura era algo raramente praticado entre suas paredes, afinal, só era realizada, após aprovação do Conselho Privado. Foram um total de 48 casos de tortura registrados em um intervalo de cem anos (1540-1640).

Hoje, após uma visita à Torre, podemos ter um vislumbre de seu passado sangrento, afinal, existem exposições, de suas armas de Tortura, como por exemplo, o Potro (utilizado na inquisição).

Existem inúmeros prisioneiros famosos, incluindo Sir Walter Raleigh, levado três vezes como prisioneiro à Torre (antigamente ”Torre do Jardim” e rebatizada, após o suposto assassinato dos Príncipes Yorkistas); Sir Thomas More (autor de ”A Utopia”e aclamado santo), o Bispo John Fisher e Sir Thomas Wyatt, filho e pai (em anos diferentes, por causas diferentes), este último, preso na Torre do Sino. Wyatt (pai), foi um dos muitos, acusados de adultério, com a segunda esposa do Rei Henrique VIII, Ana Bolena. Ele escreveu este verso (abaixo), sobre seus dias de cárcere e foi solto mais tarde; seu filho seria anos depois, em 1554, executado em Tower Hill:

”Estes dias sangrentos tem partido meu coração…
A Torre do Sino mostrou-me tal visão,
Que em minha cabeça crava noite e dia.
Lá que eu aprendi, fora das grades,
Para todos os favores, glória, ou poder,
Que ainda, circa regna tonat (rolos de trovão, ao redor do tronos dos Reis).”

Como podemos ver, a Torre, foi também, um local de execução. Em Maio de 1536, a Rainha Ana Bolena, foi aprisionada nos Aposentos da Rainha; que ia da Torre Lanthorn, até a Torre Branca; local onde tinha ficado antes de sua coroação, apenas três anos antes. Ela foi julgada no grande salão medieval. Ana foi uma das sete pessoas na história, a ser executada na Torre Verde, dentro dela de fato. Ela foi então, enterrada na igreja paroquial da Torre, conhecida como St. Peter ad Vincula (São Pedro acorrentado). Ana, foi a única vítima a ser executada com uma espada, ao invés do tradicional machado.

anne_boleyn2
Ana Bolena, segunda esposa de Henrique VIII e única a ser executada com espada.

A Torre Verde, foi escolhida, em detrimento da Tower Hill, para execuções privadas, destinada à indivíduos de alta estirpe, por ser mais escondida e segura. Duas outras Rainhas da Inglaterra morreram neste local, a quinta esposa de Henrique VIII e prima materna de Ana Bolena, Catarina Howard e a jovem Jane Gray. As outras vítimas foram, Margaret Pole (última Yorkista) Condessa de Salisbury, cujo a trágica história de sua execução, conta com uma perseguição pro seu algoz, em volta do andaime, tendo sua cabeça e ombros dilacerados no momento da decapitação; Jane Bolena, cunhada de Ana Bolena (conhecida como Lady Rochford), por sua ajuda no caso extra-conjugal de Catarina Howard; e Robert Deveraux, Conde de Essex, por sua revolta contra Elizabeth I.

Destes nomes, outros enterrados na igreja paroquial de St. Peter ad Vincula, foram executados na Tower Hill, que era destinada ao público em geral. Foram eles: Edward Stafford, Duque de Buckingham, George Bolena, irmão de Ana Bolena (conhecido como Lord Rochford), Thomas Cromwell, Conde de Essex, e Primeiro Ministro de Henrique VIII; Edward Seymour, Duque de Sommerset e Lord Protetor; e Thomas Howard, Duque de Norfolk em 1572. Todos os nomes citados anteriormente, foram executados sob a acusação de alta traição.

Quando pensamos na Torre, o primeiro local que nos vem à cabeça, é a icônica Torre Branca, esta, é a menos associada a prisões e execuções. Hoje ela possui as coleções de armaduras, como a de Henrique VIII e a de seu filho Eduardo VI. Uma das armaduras, possui as iniciais ”H & K”, referentes a Henry and Katherine, a primeira esposa do monarca. Podemos ver também, nas armaduras de Henrique, o quanto o monarca engordou com o passar dos anos, tornando-se o famoso Rei obeso que muitos conhecem.

ToL_Chapel_Plaque_2_Lg_2
Vítimas da Torre.

Como encerramento, podemos ver que a Torre foi destinada há inúmeras finalidades, e não apenas prisão e execução, como muitos que adoram a Dinastia Tudor, gostam de associar. A Torre, injustamente, carrega este pesado estigma, com o decorrer dos séculos, mas também, foi um local muito feliz, onde mulheres, tornaram-se Rainhas; Reis foram coroados. Muitas pessoas tiveram suas vidas mudadas completamente, mais para o bem, que para o mal.
Embora, não possamos esquecer o peso das vidas tiradas nesta fortaleza, temos de destacar, que ela, deve ser vista (conforme dito acima), como um local, que mudou, a vida de muitas pessoas.

tower-of-london
Monumento, marcando o local exato onde Ana Bolena, Margaret Pole, Catarina Howard e muitos outros, foram executados.

FONTES:
A Visitor’s Companion to Tudor England – by Lipscomb, Suzannah.
Onde encontrar: AQUI.


Anúncios

7 comentários Adicione o seu

  1. Agda disse:

    Thomas wyatt, que foi acusado junto com Anna Bolena, não foi executado junto com ela. Na verdade ele foi libertado.
    A expressão AD VINCULA significa acorrentado ou encarcerado.

    1. tudorbrasil disse:

      Acredito que tenha havido um pequeno equívoco, como eu não mencionei que existem Thomas pai e filho (algo que já consertei), você acreditou que referia-me exclusivamente ao pai.
      Quanto ao Ad Vincula ser acorrentado, está correto. Confundi com in Igne, de outra igreja européia.

  2. Uau que lindo lugar mistico mas lindo

    1. tudorbrasil disse:

      É de fato, muito misterioso!:)

  3. Escutei um comentário até que engrasado pois ana Bolena foi a única a ser executada por uma espada então significa que no fundo bem no fundo ele ainda a amava

    1. Trueabner disse:

      Se não me engano, essa não foi uma decisão do rei. Ana Bolena foi condenada à morte por decaptação, porém ela mesma pagou para que fosse executada por um conhecido carrasco que usava espadas e não machados.

      OBS: Tive a oportunidade de vistar essa fortaleza em janeiro e realmente vale muito à pena. Triste é nossa moeda estar tão desvalorizada…

      1. Tudor Brasil disse:

        Não, a decisão foi do rei. Existem lendas em torno da morte de Ana Bolena e o fato dela ter sido executada de modo diferente, mas na realidade quem decidiu foi Henrique, ela não tinha poder de decisão dentro da situação na qual encontrava-se, ela poderia apelar e ele poderia ou não ceder. 😉
        De fato é um local lindo, anseio em poder conhece-lo!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s