Reconstrução facial de Maria Rainha dos Escoceses irá para exposição

Imagem

A reconstrução facial de Maria Rainha dos Escoceses, criada por artistas forenses seguindo o sucesso da imagem de Ricardo III, irá para exposição na sexta-feira.

A reconstrução facial da Rainha, foi realizada a fim de ajudar a preencher algumas lacunas em sua significativa ausência de retratos durante o período em que governou a Escócia (1561-1567) .

O National Museum Scotland pediu à professora Caroline Wilkinson, artista forense da Universidade de Dundee e profissional responsável pela reconstrução de Ricardo III no ano passado, para produzir uma reconstrução facial de Mary Stuart, Rainha dos Escoceses, a fim de saber como a  rainha se parecia até o final de seu reinado.

A nova representação com base em retratos existentes e o que se sabe a respeito de sua vida e seu período, mostra Maria aos 25 anos – a essa altura, tinha ficado viúva duas vezes, sido acusada de assassinato e prestes a ser forçada a partir do trono escocês em eventual exílio e prisão na Inglaterra.

A reconstrução leva em conta tais provações e atribulações na vida da Rainha e é apresentada na exposição como uma animação pela artista Janice Aitken do Jordanstone College of Art and Design.

A reconstrução facial vai estar em exibição no Museu Nacional da Escócia, em Edimburgo, de 28 de Junho – como parte de uma grande exposição sobre a vida da rainha – até 17 novembro de 2013.

Imagem

A exposição irá explorar o mito e a realidade que envolve uma das figuras mais enigmáticas e romantizadas da história escocesa, com empréstimos de grandes coleções públicas na Escócia, Inglaterra e França e de coleções particulares para contar a história de Maria.

Ela foi enviada para viver na França aos cinco anos de idade, tornando-se brevemente rainha da França antes de seu jovem marido, o Dauphin François, falecer.

Ela retornou à Escócia como uma jovem viúva em 1561, mas sua fidelidade à sua fé católica e sua tolerância para com seus súditos protestantes, empurrou-a para águas perigosas.

A exposição também explora os complexos e controversos casamentos posteriores da Rainha. Sob pressão política para produzir um herdeiro e fazer avançar a sua pretensão à coroa Inglesa, ela casou-se com Henrique – Lord Darnley, em 1565.

A união foi um desastre, o comportamento imaturo de Darnley fez com que Maria passasse a excluí-lo dos assuntos de Estado. Logo depois, Darnley foi assassinado.

O terceiro casamento de Maria com James Hepburn, Conde de Bothwell, chocou a nação escocesa, e o país culminou em uma guerra civil. Maria foi forçada à abdicar em favor de seu filho, o jovem James.

Perseguida, caçada e derrotada, ela buscou refúgio com sua prima Elizabeth I. Mary fugiu da Escócia para a Inglaterra aos 26 anos, onde iria passar 19 anos em cativeiro.

Maria Stuart foi decapitada em 1587, no castelo de Fotheringhay sob às ordens de Elizabeth I da Inglaterra.

Máscaras mortuárias de Maria:

Máscaras mortuárias de Maria, a primeira é de Peterborough e a segunda de Lennoxlove.
Máscaras mortuárias de Maria, a primeira é de Peterborough e a segunda de Lennoxlove.

Vale lembrar que Maria possui 4 supostas máscaras mortuárias. Era comum fazer uma máscara a partir da cabeça de um decapitado logo após sua execução.  Uma destas máscaras encontra-se em Peterborough – local onde Maria foi enterrada – e a outra, em Lennoxlove; as outras duas são de acervos particulares.

A aparência original da máscara de Peterborough seria branca e simples, apenas depois ela foi pintada à mão. A máscara de Lennoxlove no entanto, é muito menor e bastante diferente da de Peterborough. A historiadora e pesquisadora Antonia Fraser, afirma que é mais provável que a de Lennoxlove pertença à uma senhora de Hamilton.

Fontes:
Telegraph.co.uk

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. valdicleia dos santos disse:

    legal

  2. samara abreu disse:

    Achei muito bom! Mas sempre me confude a questão do nome do primeiro marido da mary stuart. Afinal, é Francis, Francisco ll ou Dauphin François?

    1. Tudor Brasil disse:

      Todas estas nomenclaturas estão corretas. Em francês o nome é François II, em português vira Francisco II e em inglês é Francis II. É como Elizabeth I, que em português (de Portugal) vira Isabel I. Já Dauphin, era um título francês dado ao herdeiro aparente do trono. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s