Danças no período Tudor

dance
A dança foi um passatempo muito popular na Inglaterra Tudor, tanto para os ricos, quanto para os pobres. Dançar era considerado uma ”recreação sadia para a mente e um exercício para o corpo”, e a música, assim como hoje em dia, era um complemento essêncial, que dava forma aos diferentes tipos de danças. Com o surgimento de novos instrumentos musicais, seguidos de novos estilos de músicas, as danças foram sendo criadas ou adaptadas, variando entre as classes sociais. As danças da corte, apreciadas pela nobreza, realeza e  pelos ricos, muitas vezes vinham de fora, como da Itália, Espanha ou França, consequentemente variando consideravelmente de acordo com os costumes de cada local, indo do agitado Galliard, para o refinado Pavane. Os mais pobres praticavam danças inglesas mais tradicionais, como Jig,  Morris Dance, Brand ou Brawle. A dança Tudor das classes mais baixas, estava intimamente associada com os costumes e festas celebradas na Inglaterra Tudor.

Veremos agora um pouco mais sobre as danças Tudor para os ricos e pobres:

The other boleyn girl

Dança para as classes altas:
Conforme vimos acima, as danças Tudor diferiam conforme as classes sociais, enquanto as danças mais pobres eram mais locais e tradicionais, as danças para as classes altas buscavam sempre novos estilos vindos de fora. Muitos cortesãos viajavam para o exterior e retornavam a corte com danças vindas de vários lugares da Europa. Tais influências estrangeiras existiam tanto na dança, quanto na música da corte. Quando uma dança nova era introduzida à corte, ela teria de ser aprendida primeiramente por mestres, para assim ser adequadamente empregada para os demais. A classe alta prezava por danças elaboradas, por isso elas eram altamente sofisticadas e complexas, embora as danças inglesas mais antigas também fossem apreciadas. A maioria das danças eram executadas por casais e uma em particular chamada Volt, foi a única que permitia que os dançarinos tivessem uma proximidade maior. Os principais tipos de dança eram: Pavana, Galharda e Almain.

Pavana: É uma dança processional lenta. Era geralmente composta por casais em procissão que circundavam o salão de baile ocasionalmente cantando, seu movimento básico consistia em passos para trás e para frente. A palavra “pavana” origina-se provavelmente do italiano padovana (de Pádua). Veja abaixo o vídeo de uma representação da dança.

Galharda: Foi um estilo de música e dança muito popular no renascimento. Ela as vezes servia de complemento para a pavana. Existem manuais desta dança datados do século XVI, na Inglaterra, Alemanha, França e Itália. Os registros mais antigos desta dança são franceses. A Galharda ou Gallarda em espanhol, é uma dança improvisada, na qual os dançarinos combinam padrões de passos que ocupam um ou mais compassos da música. Em uma medida, a Galharda possui tipicamente cinco passos. Esta foi a dança favorita da Rainha Elizabeth I. Como prova de que era uma dança vigorosa, existe um registo de John Stanhope da época em que a rainha tinha por volta de 50 anos:

”A rainha está bem como eu lhe asseguro… seus exercícios habituais são seis ou sete galhardas em um dia, além de tocar e cantar…”

Allemande: Foi uma dança bastante comum nas cortes da Inglaterra, França e Espanha. Seu nome vem do francês, que significa, dança “da Alemanha”. Foi uma dança formada por duas partes. Na primeira, os músicos tocavam uma melodia lenta de 4 tempos, enquanto os pares dançavam em círculo ou em fila de forma coreografada. A segunda parte é uma rápida valsa, onde os pares dançam de forma independente, improvisando figuras com os braços.

Danças para as classes baixas: As classes mais baixas, não podiam ouvir músicas vindas de fora, ou aprender os intrincados passos de dança da corte Tudor. O único contato que eles teriam com estas inovações, teria sido através dos teatros, que se tornaram populares durante o reinado de Elizabeth I. Os mais pobres praticavam danças mais regionais que eram dançadas em rodas, ou em várias formas diferentes. Era uma dança bastante simples, alegre e mais repetitiva do que as danças da corte. As danças das classes baixas seriam transmitidas através de gerações tornando-as mais populares e típicas. Essas danças eram realizadas em feiras e festivais, muitos dos quais foram ditados pela mudança das estações e do calendário de eventos da Igreja. A maioria delas eram ricas em velhos costumes e rituais, como dançar em volta do mastro com fitas. A principal dança natalina era o carole, que consistia em uma dança e música, na qual as pessoas dançavam em círculo ou em modo processional. As danças natalinas contemporâneas inglesas, são derivadas desta época. Aqui um vídeo de um exemplo mais próximo que consegui encontrar (do período medieval):

Fontes:

Six Wives: AQUI
Ballet Cristiana Parker: AQUI
Vídeos: Youtube

Ana dos mil dias

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s