George Bolena

Imagem

George Bolena foi filho do cortesão e embaixador Sir Thomas Bolena e sua esposa, Lady Elizabeth Howard, filha do 2 Duque de Norfolk. Além dos seus 3 conhecidos filhos Ana, Maria e George, Thomas e Elizabeth tiveram dois filhos chamados Thomas e Henrique, que não chegaram a idade adulta. Tem havido muito debate ao longo dos séculos a respeito da idade dos três irmãos Bolena, mas há um consenso geral de que George nasceu em 1504. Isto resulta de um número de fontes diferentes. George Cavendish diz em um poema que George tinha cerca de 27 anos quando ganhou um lugar no Conselho Privado em 1529. Diplomatas estrangeiros acreditam que George era muito jovem para ser nomeado embaixador na França em outubro de 1529. Também temos a carta que Thomas Bolena escreveu a Cromwell afirmando que após seu casamento, ”sua esposa lhe deu um filho a cada ano”, como Thomas e Elizabeth casaram-se entre 1498 e 1499, se Thomas de fato tiver dito a verdade, isso indica que todos os cinco filhos, incluindo os dois que não chegaram a idade adulta, nasceram entre 1500 e 1504, e se aceitar como as evidências sugerem acima que George nasceu em 1504, podemos concluir que ele era o filho mais novo dos Bolena, pensamento no qual atualmente acreditam a grande maioria dos historiadores modernos. George, assim como Ana e Maria, provavelmente nasceu em Blickling Hall, porém passou boa parte de sua infância em Hever Castle quando Thomas herdou a propriedade de seu pai.

Assim como seu pai, George teria uma carreira como um cortesão e diplomata. A monarquia era a fonte de toda a patronagem e riqueza potencial e era somente através do serviço à família real que uma família poderia esperar conseguir poder ou proteger sua grandeza e posição social. Com isto em mente, George foi apresentado a corte de Henrique VIII com 10 anos de idade, quando participou das festividades de Natal. Graças a influência de sua família ou o fato dele obviamente ter impressionado Henrique com sua tenra idade, ele logo se tornaria um dos pajens do Rei.

George recebeu uma excelente educação, falava fluentemente francês, juntamente com um pouco de latim. Apesar de suas duas irmãs terem sido educadas no exterior, George permaneceu na Inglaterra ao longo de seus anos de formação. Um dos mais antigos biógrafos de George, sugere que ele pode ter passado um tempo na França quando criança, na época em que seu pai estava na embaixada em janeiro de 1519, e sugere que essa tenha sido a razão para seu frânces perfeito desde jovem, porém isso é apenas uma especulação e não temos nada para provar que seja verdade. Outros boatos também dizem que ele pode ter frequentado a Universidade de Oxford quando não estava presente na corte, embora seu nome não apareça em nenhum dos registros da universidade – uma ocorrência relativamente freqüente no período antes da guerra civil Inglesa.

Pouco se sabe sobre a vida de George além da corte e seu casamento com Jane Parker, o que sabemos, é que George tinha uma reputação de mulherengo. George Cavendish, cavalheiro do Cardeal Wolsey, em sua poesia intitulada ”Metrical visions lambastes” – diz sobre George:

Forcei viúvas, donzelas eu fiz deflorar.
Todas eram uma para mim, eu não poupava nada,
Meu apetite era devorar todas as mulheres
Meu estudo era tanto o dia e a hora.

No entanto, no mesmo poema Cavendish, que era um católico convicto e odiava os Bolena e o que eles representavam, reconhece a boa aparência e inteligência de George, dizendo:

“…Deus me deu graça, e a dama natureza fez sua parte,
Dotando-me com dons de qualidades naturais:
“A dama da eloqüência também me ensinou a arte,
Em metro e verso para fazer agradáveis cantigas…​​”

O poeta:

Uma faceta pouco conhecida de George eram seus talentos em poemas e música, durante sua vida ele escreveu muitos poemas, não deixando a desejar a nenhum outro de sua época, como por exemplo Thomas Wyatt o poeta que teve um romance com Ana Bolena, e Henry Howard Conde de Surrey. O cronista da corte, Holinshed diz que “Ele escreveu diversas canções e sonetos”. O historiador David Starkey reconheceu o  intelecto de George, quando referiu-se a ele como tendo “muitos dos talentos de Ana e todo o seu orgulho”.

Atualmente existem vários poemas alegados a George, porém nenhum comprovadamente seu.

Homossexualidade:

Não houveram rumores relacionados a homossexualidade durante a vida de George, muito pelo contrário, ele era considerado, conforme vimos acima, considerado um mulherengo. Mas então como surgiram esses rumores?

A primeira historiadora a sugerir a homossexualidade de George Bolena foi Retha Warnicke. Em um artigo de 1987 intitulado “Heresia Sexual na Corte do Rei Henry VIII” e em seu livro de 1989 – ”A Ascensão e Queda de Ana Bolena”, Warnicke introduziu várias teorias, entre elas: Ana Bolena em janeiro de 1536 abortou um feto “deformado” levando Henrique VIII a acreditar que sua esposa era uma bruxa, os cortesãos que eventualmente foram acusados ​​de ter relações sexuais com Ana eram promíscuos e em alguns casos bissexuais, sendo George Bolena um dos acusados, a dúvida de sua sexualidade caiu sobre ele, chegando a especular, que ele provavelmente havia tido um caso com Mark Smeaton, assim como com outros homens.

Os historiadores expressaram ceticismo sobre teorias Warnicke, dizendo que não havia provas suficientes para apoiá-las e que as crenças eram “inferenciais”. No entanto, tais teorias viraram febre nas ficções históricas e dramas de televisão. Em The Other Boleyn Girl, George Bolena é bissexual. Na série The Tudors, George Boleyn estupra sua esposa na noite de núpcias e tem um caso apaixonado com Mark Smeaton.

Carreira e casamento:

George é mencionado pela primeira vez como um adulto em 1522, quando ele e seu pai receberam uma doação conjunta de várias casas senhoriais em Kent. A concessão foi feita em abril, sugerindo que George nasceu em abril de 1504 e que esta concessão foi um presente de aniversário de 18 anos. Ele era um dos favoritos do Rei e foi regularmente mencionado nas despesas da Bolsa Privada jogando tênis, jogos de cartas e tiro ao alvo. Ele também apostava muito dinheiro com o Rei, chegando a ganhar grandes somas de dinheiro, porém também chegando a perder tanto ou mais.

George era um dotado debatedor sobre a filosofia religiosa, e seus pontos de vista religiosos de George resultaram em seu influente papel na Reforma do Parlamento entre a sua concepção em 1529, e sua morte em 1536.

George casou-se com Jane Parker no final de 1524 ou início de 1525. Tradicionalmente, o casamento de George e Jane tem sido retratado como um matrimônio infeliz. No entanto, o biógrafo mais recente de Jane Parker conclui que a natureza exata do casamento não é clara, mas sugere que ele não era infeliz. Como vimos acima as declarações da homossexualidade de George eram meras especulações, não sende esse um motivo real para uma possível discordia matrimonial.

Execução:

Em 1536, Ana Bolena abortou um filho. Sua falha em produzir um herdeiro varão coincidiu com a paixão de Henrique por Jane Seymour, uma das damas de companhia de Ana. Para livrar-se dela, Henrique e seu conselheiro-chefe, Thomas Cromwell, criaram uma trama em que Ana foi acusada de adultério com cinco homens, um dos quais era seu irmão, George. Ele foi acusado de incesto e plotagem com a Rainha para matar o rei.

Ana e George foram presos em 2 de maio de 1536. Os outros quatro homens  implicados na trama eram, Sir Henry Norris, Sir Francis Weston, Sir William Brereton e Mark Smeaton, que foram julgados na sexta-feira dia 12 de Maio. Apenas Smeaton confessou, provavelmente após muita tortura e pressão emocional. Apesar da falta de evidências todos os quatro homens foram considerados culpados.

George Bolena e os outros quatro homens foram decapitados em Tower Hill na manhã de 17 de Maio de 1536. O discurso de George no patíbulo foi extremamente longo, exemplificando suas habilidades como orador. Seu discurso foi principalmente focado em defender suas crenças religiosas e sua paixão pela reforma.

Esta versão da Crónica de Calais do discurso de George:

Homens cristãos, eu nasci sob a lei, julguei sob a lei, e morrerei sob a lei que foi condenada a mim. Senhores, eu não vim aqui para pregar, mas para morrer, pois eu mereceria morrer mesmo se tivesse 20 vidas, mais vergonhosamente do que pode ser entendido, pois sou um pecador miserável e pequei vergonhosamente. Eu não conheço nenhum homem tão mal, e para ensaiar meus pecados abertamente, não é nenhum prazer para vocês ouvi-los, e nem para mim ensaia-los, porque Deus sabe tudo. Portanto, senhores, eu rezo para que todos vocês prestem atenção em mim, especialmente meus senhores da corte, a quem eu tenho estado junto, prestem atenção a mim e cuidado com essa queda, e peço a Deus, o Pai, o Filho e o Espírito Santo, três pessoas e um só Deus, que a minha morte possa servir de exemplo a todos vocês. E cuidado, não confiem na vaidade do mundo, e especialmente nas lisonjas da corte. E eu choro misericórdia a Deus, e peço todo perdão do mundo a Deus. E se eu ofendi alguém que não está aqui agora, seja em pensamento, palavra ou ação, e se vos ouvir tal, peço-vos cordialmente em meu nome, que orem para que eles me perdoem pelo amor de Deus. E no entanto meus senhores, eu tenho uma coisa para dizer a vocês: os homens dizem que tenho sido um pregador da Palavra de Deus, e que tenho favorecido o Evangelho de Cristo, e porque eu não quero que a palavra de Deus deve seja caluniada por mim, eu digo a todos vós, que se eu tivesse seguido a palavra de Deus em atos como os que li e apresentasse-as ao meu poder, eu não chegaria a isto. Se eu tivesse, eu teria sido um homem entre vós. Por isso peço-vos, senhores, pelo amor de Deus para fixar a verdade e segui-la, pois um bom seguidor vale por três leitores, como Deus o sabe. (Alisson Weir, pág. 243)

George Bolena precisou de três golpes de machado, para que sua cabeça se soltasse completamente de seu corpo, após a execução, seu corpo permaneceu mutilado, até que os funcionários da torre o empilhasse em um carrinho para transportá-lo para seu último local de repouso, a Capela de Saint Peter ad Vincula.

Fontes:
The Tudor Trail

Local de execução de Thomas Bolena, foto de On the Tudor Trail
Local de execução de Thomas Bolena, foto de On the Tudor Trail
Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Aninha disse:

    Acho que esses ligares emLondres devem ser todos assombrados…

    1. tudorbrasil disse:

      Se são assombrados ou não, pelo menos podemos dizer que possuem uma atmosfera bem pesada ou forte né!?
      Seja bem-vinda Aninha!=)

  2. Dani disse:

    Uma Era muito pesada, injusta, triste, revoltante. Estou assistindo a série e é agoniante ver tanta morte, injustiça e traição.

    1. tudorbrasil disse:

      Infelizmente, como disse, era outro tempo, outras leis e perspectivas de vida, onde muitas pessoas morreram injustamente, e outras, lutaram para sobreviver, mas também, como tudo, teve seu lado bom. Culturalmente falando, foi um período incrível, devemos sempre ver os dois lados da moeda!:)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s