Elizabeth de York

Imagem

Casa Real: York por nascimento, Tudor por casamento.

Casamento com Henrique VII:
18 de Janeiro de 1486, Abadia de
Westminster

Coroação como Rainha Consorte:
25 de Novembro de 1487, Abadia de Westminster.

Morte:
11 de Fevereiro de 1503

Sepultamento: 23 de Fevereiro de 1503, Lady Chapel, Abadia de Westminster.


Início da vida:

Elizabeth de York foi filha, irmã, sobrinha, esposa e mãe dos monarcas ingleses- Eduardo IV, Eduardo V, Ricardo III, Henrique VII e Henrique VIII, respectivamente. Ela nasceu em Westminster, filha mais velha do Rei Eduardo IV e sua Rainha consorte Elizabeth Woodville. Seu batismo foi celebrado na Abadia de Westminster, tendo como madrinhas suas avós Cecily Neville, Duquesa de York e Jacquetta de Luxemburgo, Duquesa de Bedford. Seu terceiro padrinho foi seu primo Ricardo Neville, 16º Conde de Warwick.

Ela foi nomeada Dama da Jarreteira em 1477, junto com sua mãe e sua tia paterna Elizabeth, Duquesa de Suffolk.

Em 1469, ela foi noiva de George Neville, filho de John Neville, Conde de Northumberland, que inicialmente apoiou Eduardo IV contra seu irmão na Rebelião de Warwick. O Conde de Northumberland mudou de lado e consequentemente seu noivado desfeito. Em 1475, Luis XI concordou em casá-la com seu filho, Charles o Dauphin da França, porém Luis desfez sua promessa em 1482.

Aparência:

Elizabeth de York foi considerada bela, ela possuía a tão apreciada tez clara e cabelos loiros com subtom ruivo. Starkey descreveu-a como “uma das belezas de sua época: de estatura alta, com cabelos loiros, olhos azuis (embora em seu retrato sejam mel), pele clara e características normais.

Irmã do Rei:

Em 1483, Eduardo IV morreu e o irmão mais novo de Elizabeth, Eduardo V tornou-se Rei. Seu tio Ricardo, Duque de Gloucester, foi apontado como regente e protetor de seus sobrinhos.

Pouco após a morte de seu irmão, Ricardo passou a tomar medidas para isolar seus sobrinhos de suas relações com Woodville. Ele interceptou Eduardo V em Ludlow (onde estava vivendo como príncipe de Wales) a caminho de Londres para ser coroado. Eduardo foi colocado na residência real da Torre de Londres, aparentemente para sua proteção. Elizabeth Woodville fugiu com seu filho mais novo Ricardo e suas filhas para o santuário na Abadia de Westminster. O Duque de Gloucester solicitou que o jovem Ricardo fosse para torre fazer companhia ao seu irmão e Elizabeth concordou.

Dois meses depois, em 22 de junho de 1483, o casamento de Eduardo IV foi considerado inválido (Eduardo, conforme foi dito, havia na época de seu casamento com Elizabeth Woodville já sido noivo de Lady Eleanor Butler); isto fez com que os filhos de seu casamento fossem considerados bastardos e inelegíveis para a sucessão. O parlamento emitiu uma nota, “Titulus Regius” (“O título do Rei”), em apoio a esta posição: os filhos de Eduardo IV tornaram-se legalmente bastardos, declarando Ricardo o legítimo Rei. Ricardo então ascendeu ao trono como Ricardo III em 6 de Julho de 1483, Eduardo V e seu irmão desapareceram logo depois. Começaram a se espalhar rumores de que haviam sido assassinados.

Sobrinha do Rei:

Elizabeth Woodville, mãe de Elizabeth, fez uma aliança com Lady Margaret Beaufort, mãe de Henrique Tudor, que era a mais próxima a realeza pelo lado Lancastriano. Embora Henrique descendesse do Rei Eduardo III, sua reivindicação ao trono era fraca, devido à clausula de restrição a ascensão ao trono por qualquer herdeiro da prole legitimada de seus tetravós, John de Gaunt (terceiro filho de Eduardo III) e Catarina Swynford. Apesar disso, Elizabeth Woodville concordou que Henrique deveria clamar o trono, e uma vez que o tomasse, ele deveria casar-se com a filha de Woodville, unindo duas casas rivais. Em dezembro de 1483, na catedral em Rennes, Henrique fez um juramento prometendo casar-se com ela e então começou a planejar uma invasão.

Enquanto isso Ricardo III fez planos para que Elizabeth casasse com um oficial naval sem sangue nobre, filho de Robert Stillington. No entanto, ele foi capturado pelos franceses ao longo da costa da Normandia e aprisionado em Paris, onde ele morreu “de fome e pobreza”.

Em 1484, Elizabeth e sua família deixaram a Abadia de Westminster e retornaram a corte de Ricardo. Houve rumores de que ele pretendia casar-se com ela, pois sua esposa Ana Neville, havia morrido sem deixar filhos. Ricardo negou tal fato e a Crônica Crowland (Crowland Chronicle) alega que ele foi forçado a fazê-lo por inimigos dos Woodvilles, que temiam o retorno da família a favor Real. Não há evidências conclusivas das intenções de Ricardo de casar-se com Elizabeth (que teria sido assunto das dispensas concedidas pelo Papa para tais casamentos), embora Sir George Buck mais tarde afirmasse ter descoberto uma carta agora perdida de Elizabeth que indicava que ela estava envolvida e disposta. De fato, logo após a morte da Rainha Ana, Ricardo iniciou negociações com João II de Portugal para uma dupla aliança de casamento, ele casaria-se com a irmã do Rei, Joana e Elizabeth com seu primo, o futuro Dom Manuel I.

No entanto, em 07 de agosto de 1485, Henrique e seu exército desembarcou no País de Gales e começaram a marchar para o interior. Em 22 de Agosto de 1485, Henrique e Ricardo lutaram no campo da Batalha de Bosworth. Apesar de Ricardo ter tido um exército maior, ele foi traído por alguns de seus retentores mais poderosos e morreu em batalha. Henrique levou a coroa por direito de conquista, passando então a ser conhecido como Henrique VII.

Elizabeth de York, Henrique VII e a junção das Rosas de York e Lancastre dando origem a famosa Rosa de Tudor.
Elizabeth de York, Henrique VII e a junção das Rosas de York e Lancastre dando origem a famosa Rosa de Tudor.

Esposa do Rei:

Henrique reconheceu a necessidade de casar-se com Elizabeth para garantir a estabilidade de seu governo e enfraquecer outras reivindicações ao trono de membros sobreviventes da Casa de York, porém ele insistiu em ser rei devido a uma tênue reivindicação da herança de John de Gaunt, governando em seu próprio direito e não por seu casamento com a herdeira da Casa de York, não tendo intenção de partilhar o poder. Ele escolheu ser coroado em 30 de Outubro de 1485, antes de seu casamento.

Henrique tinha o Titulus Regius revogado, assim relegitimando os filhos de Eduardo IV e V reconhecendo Eduardo como seu antecessor, já que ele não queria que a legitimidade de sua esposa ou sua afirmação como herdeira de Eduardo IV posta em causa. Depois de uma dispensa papal ser adquirida, Henrique e Elizabeth casaram-se em 18 de Janeiro de 1486. Seu primeiro filho, Arthur, nasceu em 20 de Setembro 1486 e ela foi coroada Rainha consorte em 25 de Novembro de 1487.

O casamento parece ter sido tranquilo e ambos os parceiros parecem ter cuidado um do outro.
Como Rainha, Elizabeth não exerceu muita influência política, devido ao forte espírito de sua sogra Lady Margaret Beaufort, mas foi relatado que ela era gentil, amável e generosa com seus parentes, funcionários e benfeitores. Elizabeth gostava de música e dança. Ela tinha galgos e pode ter desfrutado de caça e tiro ao alvo.
Em 14 de Novembro de 1501, o filho mais velho de Elizabeth, Arthur (15 anos)e sua esposa Catarina de Aragão, filha de Fernando II de Aragão e Isabel I de Castela, foram enviados para o Castelo de Ludlow, a residência tradicional do Príncipe de Gales. Cinco meses depois, Arthur morreu em abril de 1502. A notícia da morte de Arthur fez com que Henrique VII ficasse de luto; Elizabeth confortou-o, dizendo-lhe que ele era o filho único de sua mãe (a quem ela se referia como My Lady) e que Deus ainda havia-o deixado com um filho e duas filhas e que ambos eram jovens o suficiente para ter mais filhos.

Morte:

Após a morte de Arthur, Elizabeth engravidou mais uma vez. Em 2 de Fevereiro de 1503, ela deu à luz uma menina chamada Catarina (Katherine) que morreu poucos dias depois. Sucumbindo a febre puerperal, Elizabeth morreu em 11 de Fevereiro, em seu 37 º aniversário. Henrique VII lamentou muito sua morte, e de acordo com relatos, ele “partiu em segredo para um lugar desértico dizendo para que nenhum homem recorresse a ele”. Apesar de sua reputação de frugalidade, Henrique deu-lhe um esplêndido funeral, Elizabeth está sepultada  na Lady Chapel da Abadia de Westminster que Henrique construiu. Embora tenha considerado uma nova aliança, Henrique morreu viúvo em 1509. Ele descansa ao lado de sua esposa Elizabeth e suas efígies ainda podem ser encontradas na Lady Chapel.

Efígies de Henrique VI e Elizabeth de York.
Efígies de Henrique VI e Elizabeth de York.

Filhos:

* Arthur, Príncipe de Wales (20 de Setembro de 1486 – 2 de Abril de 1502) – 15 anos de idade.
* Margareth Tudor, Rainha consorte da Escócia (28 de Novembro de 1489 – 18 de Outubro de 1541) – 52 anos de idade.
* Henrique VIII (28 de Junho de 1491 – 28 de Janeiro de 1547) – 55 anos de idade.
* Elizabeth Tudor(2 de Julho de 1492 – 14 de Setembro de 1495) – 3 anos de idade.
* Maria, Rainha da França (18 de Março de 1496 – 25 de Junho de 1533) – 37 anos de idade.
* Edmund, Duque de Somerset (21 de Fevereiro de 1499 – 19 de Junho de 1500) – 1 ano de idade.
* Catarina (Katherine) Tudor (2 de Fevereiro de 1503 – 10 de Fevereiro de 1503) – 8 dias.

Fontes:

Harvey, Nancy Lenz – Elizabeth of York – Mother of Henry VIII (english version);
Weir, Alison –
 Elizabeth of York – A Tudor Queen and Her World (english version)

tudorrose

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s