Educação na Era Tudor

Poucas crianças foram para a escola nos tempos Tudor. As que iam, foram principalmente filhos de famílias ricas ou trabalhadores que poderiam pagar a taxa de aprendizado. A minoria das meninas estudavam, a maioria delas eram mantidas em casa por seus pais para ajudar nas tarefas domésticas ou enviadas para trabalhar para trazer dinheiro à família.

Educação de meninas:

A educação da maioria das meninas Tudor centrava-se em temas hoje não acadêmicos de acordo com sua posição e status. Lições previstas para as meninas de classe média incluíam costura, bordado, dança, música, tiro ao alvo, equitação e caça. Era importante para as meninas aprenderem a governar uma casa e tornarem-se hábéis em todos as tarefas de uma dona de casa. Acima de tudo seriam ensinados as meninas a obediência aos membros masculinos de suas famílias.

Ricas: As meninas ricas tinham tutores para aprenderem em casa.  A educação das meninas, como de Lady Jane Grey, Maria e Elizabeth foi excelente, abrangendo as mesmas matérias ensinadas aos meninos da época.

Classe média: Em uma família de classe média as meninas podiam ir a escolas ou as mães poderiam ensinar-lhes. As meninas então aprenderiam música, escrita e leitura e outras matérias citadas acima.

Pobres: A maioria das meninas eram mantidas em casa para ajudar com o trabalho doméstico ou enviadas para trabalhar e trazer dinheiro para a família.  As meninas Tudor menos afortunadas tinham pouca instrução e suas habilidades eram exclusivamente centradas na vida doméstica, tal educação era de natureza totalmente prática e as meninas não iam à escola ou recebiam qualquer tipo de educação mais formal.

Educação de meninos:

A educação dos meninos era voltada para o trabalho.

Ricos: As famílias mais ricas contratavam um tutor para ensinar seus filhos em casa, eles aprendiam a ler e escrever em várias línguas como Latim, grego e línguas modernas como o francês, assim como uma enorme gama de matérias como religião, filosofia, aritimética, história, retórica, lógica, literatura, astrologia, entre outros…

Classe média:
Cidades e vilas Tudor possuiam escolas paroquiais onde o vigário local ensinava os meninos a ler e escrever, porém custava a taxa de ensino, as crianças também poderiam estudar em escolas Petty, onde teriam menos horas para que algumas pudessem trabalhar. Na escola, muitas vezes os alunos tinham que falar em latim. Eles também aprendiam religião, grego e matemática.

Pobres:
Famílias muito pobres simplesmente não podiam dar-se ao luxo de pagar escolas e era muito mais importante que seus filhos ganhassem a vida, ajudando em casa ou aprendendo um ofício como aprendizes. Os aprendizes eram trabalhadores não remunerados que ajudavam em estabelecimentos e oficinas em troca do treinamento. Um menino poderia iniciar seu aprendizado com apenas 8 anos de idade, mas a maioria começava com idades entre 10 a 14. Após completar 7 anos de treinamento, o aprendiz era promovido, passando a receber uma pequena quantia de dinheiro por dia. O aprendiz também poderia procurar trabalho em outro lugar a fim de ganhar experiência. Podendo depois de um tempo iniciar seu próprio negócio.

Materiais de aprendizado Tudor.

Materiais de aprendizado:

Nas escolas os alunos escreviam com uma caneta de pena de ganso aparada com uma faca para fazer uma ponta fina. Eles molhavam a caneta em um tinteiro, um pote geralmente feito de chifre. Ao contrário das escolas de hoje, as crianças aprendiam suas matérias em cartilhas de trabalho, que eram placas de madeira que continham o alfabeto de um lado e orações como o Pai Nosso no outro e eram protegidos com uma fina camada de chifre transparente de vaca. Praticavam a escrita com tinta copiando das cartilhas o alfabeto e orações.

Horário das Aulas:

Era habitual que as crianças freqüentassem a escola seis dias por semana. A rotina escolar começava às 07h00 no Inverno e 06:00 no verão e terminava por volta das 17:00hs.

Professor com sua vara de bétulas.

Castigos disciplinatórios:

Os professores eram muito rígidos, muitas vezes batiam com ramos galhos de bétula nos alunos que se comportassem mal. Era permitido que os professores dessem 50 golpes de bétula. Os alunos, por vezes iam com muito medo à escola devido aos espancamentos. Os alunos de famílias ricas podiam pagar um amigo especial chamado de ‘bode expiatório‘. Quando a criança rica era desobediente, era o bode expiatório quem recebia o castigo.

Educação Tudor em casa:

Os princípios básicos de uma educação Tudor seria iniciada em casa e ensinada por aqueles que eram responsáveis ​​pela criação dos filhos. Os elementos básicos da educação infantil era conduzido até os sete anos de idade e incluia o seguinte:

-Respeito a mãe e ao pai

-Religião – Começando no início da manhã ao fazer suas orações

 -Modos à mesa (era importante aprender como portar-se corretamente à mesa, a comer pedaços pequenos, mastigar corretamente, usar faca, guardanapo, etc…)

-As crianças Tudor também aprendiam seu “lugar” na sociedade, que incluía onde deveriam sentar-se à mesa.

-Conhecimentos básicos de gramática, leitura e escrita

Entre os 5 e 7 anos a educação das ricas crianças Tudor era realizada por professores particulares. Crianças de classe média eram ensinadas nas escolas ou por suas mães.

Cartilha Tudor de aprendizado

Escolas Petty:

O nível mais elementar da educação dos meninos de classe média foi conduzido para o que foi chamado de “Escola Petty”. O ensino era na casa de um professor ao invés da escola. A palavra “Petty” provavelmente deriva de ‘petit’, pequeno em francês. O ensino ministrado na Escola Petty consistia em ensinar a ler e escrever Inglês, aprender o catecismo e lições de comportamento. As escolas menores eram referidas como “Escolas Dame”.

Escolas de Gramática:

Dos 7 aos 14 anos, as crianças de classe média foram educadas em escolas secundárias, que geralmente eram financiadas pelo Sindicato local. As aulas de latim eram ensinadas com o auxílio de um livro Tudor conhecido como Gramática Latina de Lilly( Lily’s Grammar of Latin). Este livro servia como uma introdução à gramática e foi compilado por William Lily, ele havia sido autorizado por Henrique VIII a ser o único livro de gramática em latim a ser usado como material de aprendizado. Em 1558  o livro de soletrar intitulado ”A Child’s speller” foi escrito na Inglaterra.

A educação Tudor nas escolas de gramática aderiram ao seguinte regime educacional:

*Educação Tudor para crianças de 7 anos – consistia em aprender partes de discurso, verbos e substantivos.

*Educação Tudor para crianças de 8 anos – Seriam ensinadas regras da gramática e construção de frases.

*Educação Tudor para crianças de 9 anos – Era focada em traduções do Inglês-latim e do latim-Inglês.

*Educação Tudor dos 10 aos 14 anos – Focava-se nas seguintes lições:

-Latim com traduções em inglês

-Literatura, incluindo as obras de grandes autores e dramaturgos clássicos como Ovídio, Plauto, Horácio, Virgílio e Cícero

-Ensino religioso

-Aritmética

-Ocasionalmente o estudo de história, astrologia e grego

Uma semelhante gama de aulas eram ensinadas por professores de ricos Tudors como parte de um currículo padrão. Estes estudos incluíam várias línguas, gramática, teologia, história, retórica, lógica, filosofia, aritmética, literatura, geometria, religião e música. Aos 14 anos a educação Tudor continuava na universidade.

A clássica educação Tudor teria sido lecionada em universidades, incluindo os seguintes temas:

-Educação em Artes- incluído Filosofia, Retórica, Poética, História Natural, etc…

-As Artes Liberais teriam incluído Gramática, Lógica, Música, Astronomia, Aritmética e Geometria.

Universidades Tudor:

Educação na Universidade:

As Universidades de Oxford ou Cambridge foram às mais populares escolhas para completar a educação Tudor. A clássica educação Tudor teria sido fornecida em universidades, incluindo as seguintes opções de temas:

* Educação em Artes teria incluído Filosofia, Retórica, Poética, educação História Natural e etc…(assim como acima)

* As Artes Liberais teriam incluído Gramática, Lógica, Música, Astronomia, Aritmética e Geometria (assim como acima)

*Teologia concentrada em uma educação religiosa

* Medicina incluindo o estudo de Hipócrates, Galeno e textos médicos judeus e árabes

* Educação em Direito

A última parte de uma rica educação Tudor poderia incluir uma visita às principais cidades da Europa. Para viajar para outros países seria necessária a permissão do monarca, portanto normalmente só a nobreza era capaz de viajar ao exterior.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s