Ana Bolena Parte IV – A volta à Inglaterra

Em 1521, após passar oito anos no continente, Ana Bolena foi chamada de volta para a Inglaterra. Apesar do Rei da França, estar preocupado com a retirada da dama de companhia de sua esposa e vários estudantes ingleses em Paris “parecerem indicar uma intenção Inglesa de travar uma guerra com a França”, o Cardeal Wolsey garantiu ao Rei francês que Ana Bolena estava sendo chamada para se casar-se. Aqui está um relatório espanhol sobre tal fato, do Calendário Espanhol de Documentos de Estado: –

“Os embaixadores queixaram-se que a filha de Bolena, que estava a serviço da Rainha francesa, havia sido chamada para casa e disseram que isso não era um sinal de amizade contínua. O cardeal disse que ele próprio era responsável por sua isso, pois pretendia, com seu casamento, pacificar certas brigas e litígios entre os Bolenas e outros nobres ingleses. “

O relatório acima data de 17 de Janeiro de 1522 e Eric Ives diz que, vendo como o embaixador que fez a denúncia original em nome de Francisco I deixou a França antes do dia 06 de janeiro de 1522, podemos ter certeza de que Ana deixou a França em 1523. Ana havia sido levada da França para casar-se com James Butler, filho de Sir Piers Butler.

O pai de Ana Bolena, Thomas Bolena, era filho de Lady Margarida Butler. Margarida era filha de Thomas Butler, 7° Conde de Ormond. Ou seja, os Bolena e os Butlers possuiam parentes em comum. Tudo começou quando no dia 3 de Agosto de 1515, Thomas Butler, avô de Thomas Bolena, morreu com 89 anos, porém este, não havia deixado descendência legítima para herdar o título, como teve apenas filhas, em vez disso deixou os Bolena (a família de sua filha Margarida) e os St Legers (a família de sua filha Ana ) como co-herdeiros gerais. Eric Ives, o maior biografo de Ana Bolena, explica que Henrique VIII fez o favor de conceder as propriedades da mãe de Thomas Bolena para ele dentro de 4 meses, porém, conceder e ocupar não eram a mesma coisa na Irlanda, onde os direitos sob os co-herdeiros foram obstruídos pelo primo do último conde, herdeiro do sexo masculino, Piers Butler, que vinha agindo há anos como representante ausente do conde. Tudo começou quando Piers intitulou-se Conde de Ormond. Os Bolena neste ponto, possuíam o apoio do Rei, porém Piers possuia o apoio de senhores de terras irlandeses sobre seu direito em uma propriedade na Irlanda. Neste ponto, o caso teria de ser resolvido por um júri de comum-lei. A Inglaterra não queria criar um conflito com os senhores de terras irlandesas, portanto, entrar nesta briga não era algo que o rei estaria disposto a fazer, a resolução era, juntar os dois co-herdeiros em casamento, reafirmando então seu direito sobre a terra.

Henrique VIII então em meados de 1520, escreveu para Thomas Howard, Conde de Surrey e tio de Ana Bolena, contando que havia sido nomeado Lord-Tenente da Irlanda, tendo um título afirmado, seria a deixa para a união dos parentes. Ele perguntou a Thomas se o Conde de Ormond não estava disposto a casar seu filho com a filha de Thomas, a melhor solução encontrada para por fim a este problema. O conselho da Irlanda concordou que seria vantajoso que um casamento fosse realizado.

Embora Ana tenha deixado a França para então casar-se com o seu parente e por fim ao uma briga territorial de família, o casamento não ocorreu. Eric Ives acredita que foi Sir Piers Butler, que pôs fim às negociações, “presumivelmente por Bolena ter dificultado as coisas”. Ives também especula se Wolsey nunca pretendeu que o casamento ocorresse e as negociações fossem somente ”um incentivo à longo prazo para que os Butlers se comportarem”.

Ana acabou não se casando e seu destino mudou subitamente, como veremos no próximo artigo…

Fontes:

Calendar of State Papers, Spain, Further Supplement to Volumes 1 and 2, 17th January, The Ambassadors in England to Charles V
The Life and Death of Anne Boleyn, Eric Ives, pág. 372.
Artigo da biblioteca nacional irlandesa – Um artigo sobre James Butler, 9º Conde de Ormond, com informações retiradas de Life of Duke of Ormond – Thomas A. Carte, M.A. 6 vols. Oxford, 1851

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

  1. Laura disse:

    Não encontrei nenhum texto relacionado ao tema! estou curiosa.. Aguardo para ler.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s