Hever Castle: O lar de Ana Bolena (Parte II)

Imagem

Hever Castle está situado no coração da zona rural de Kent, e possui mais de 700 anos. Ele reside como um elemento relativamente pequeno em meio a vasta paisagem rural. Apesar de sua modesta arquitetura, ele desempenhou um importante papel na história da Inglaterra.

Hever Castle, foi construído por volta de 1270, tendo como proprietário William de Hever, um xerife sob o reinado de Eduardo I. Este castelo medieval, foi feito a partir de uma enorme portaria e um pátio murado, que foram cercados por um fosso para a defesa e uma ponte levadiça de madeira. Em 1460, quando o castelo entrou na posse de um rico comerciante de Londres chamado Henry Bullen, moradias Tudor foram adicionadas dentro dos muros de proteção. O filho de Henry, Thomas, que mais tarde mudou seu sobrenome para Bolena (Boleyn, embora a grafia antiga ainda fosse pouco utilizada) casou-se com Elizabeth Howard, filha do Duque de Norfolk,  e herdou o lugar.

Quando Sir Thomas Bolena, herdou Hever Castle de seu pai em 1505, ele o transformou em uma casa de família para sua esposa e seus três filhos Maria, George e Ana.

Hever Castle foi o lar de Ana durante a infância, embora ela tenha passado parte de sua juventude em outro local. Ela primeiro deixou a Inglaterra em 1513, rumo à Holanda, onde foi colocada na Corte de Margaret Arquiduquesa da Áustria, regente da Holanda. No outono de 1514, ela foi uma das damas de companhia na Corte da Rainha Maria de França – irmã de Henrique VIII, e também da Rainha Claude, até que em 1522, retornou à Inglaterra (leia a Saga Bolena). Mesmo depois de mais de oito anos longe de casa, Ana não voltaria imediatamente para Hever, e sim para a Corte Tudor de Henrique VIII, a serviço da Rainha Catarina. Finalmente, em 1523, ela retorna a viver no Castelo de Hever, quando enfim, é exilada da Corte Inglesa após sua frustrada tentativa de casar-se com Lord Henry Percy.

Sala onde ficam expostas tapeçarias Tudor e um dos mais famosos livros de orações de Ana Bolena.
Sala onde ficam expostas tapeçarias Tudor e um dos mais famosos livros de orações de Ana Bolena.

Quando voltou para a Corte em 1525, Ana ainda estava nos estágios iniciais do drama que iria consumi-la pelo resto de sua vida, levando a sua execução em 1536. Não surpreendentemente, Hever Castle desempenhou um papel importante neste drama. Embora Ana tenha passado um bom tempo na Corte, Hever ainda era sua casa e Henrique VIII certamente visitou-a lá, na esperança de conquistá-la como amante. O prolongado namoro de Ana e Henrique, fez surgir inúmeros benefícios para a família Bolena e deixou uma marca indireta em Hever Castle. A favor Real, foi concedido a Ana o título de Marquês de Pembroke (título masculino) em 1532 e a seu pai o título Conde de Ormonde e Wiltshire em 1529 e por conexão, seu irmão George tornou-se Visconde Rochford. Maria, a irmã de Ana (e outrora amante de Henrique), recebeu $ 100 de uma pensão – que antes acreditava-se ser de um filho bastardo do Rei. Toda essa boa sorte e prosperidade, certamente ajudaram a melhorar e distinguir Hever, especialmente, quando o casamento de Ana e Henrique, fez com que o castelo passasse a ser a casa da família da Rainha da Inglaterra.

O interior do Castelo, havia sido transformado em uma confortável mansão Tudor, mas ainda era relativamente pequeno (o pé direito é bastante baixo, comparado aos padrões atuais), especialmente quando as amplas e mais luxuosas dependências Tudor, só foram adicionadas no início do século XX. Na verdade, uma vez que você entra no castelo de Hever, qualquer sentimento de espanto ou pompa que você possa ter experimentado ao vislumbrar seu exterior, torna-se um pouco menor, quando você tem de abaixar-se e esquivar-se a fim de evitar bater com a cabeça na parte superior das portas baixas. Como resultado, o quarto de Ana, que pode ser visto pelos visitantes de Hever Castle, é apertado e pequeno. Quanto ao exterior do castelo, é difícil dizer como o terreno se parecia nos tempos de Ana, mas não há dúvida, de que eles não incluíam os magníficos jardins do século XX, o famoso labirinto ou o Parquinho. No entanto, Ana conseguiu divertir-se e ser feliz durante o tempo em que passou no castelo, provavelmente refinando o seu talento para a música ou leitura de seus livros pessoais de orações, que hoje estão encontram-se em exposição em Hever.

É claro, que toda esta maravilhosa boa sorte chegou a um abrupto fim, quando Ana foi executada em 19 de maio de 1536. Dois dias antes, o irmão de Ana, havia sido executado após ser julgado e culpado de cometer adultério com ela. Sua morte eficazmente, terminou com a nobre aristocracia conferida a seu pai, no auge da paixão de Henrique com Ana. A linha ficou permanentemente extinta, quando o pai de Ana morreu em 1539 (seu túmulo encontra-se na capela de Hever). Com sua morte, o Castelo de Hever passou para a Coroa. Ironicamente, o castelo foi dado à quarta esposa de Henrique VIII, Ana de Cleves, em 1540, como parte de seu acordo de divórcio. O castelo passou a ser propriedade de Ana de Cleves, até sua morte em 1557, apesar de não sabermos de fato quanto tempo ela passou lá.

Vista aérea do terreno do Castelo. Nele podemos ver o lago, os jardins e o labirinto.
Vista aérea do terreno do Castelo. Nele podemos ver o lago, os jardins e o labirinto.

Pelos próximos três séculos e meio, Hever Castle passou por uma série de proprietários e um eventual declínio, que terminou em 1903, quando foi comprado pelo milionário americano, William Waldorf Astor. Astor foi meticulosamente cuidadoso em restaurar Hever, mantendo a aparência original externa e mantendo o máximo possível o interior no estilo Tudor original da época. Embora muitos dos quartos tenham sido convertidos em áreas mais modernas, outros quartos como o de Ana, foram mantidos em grande parte intactos, e todos os quartos de hoje, incluem artes e artefatos dos tempos Tudor ou relacionados com a família Bolena, Henrique VIII e suas seis esposas. Fora do castelo, Astor melhorou e expandiu o terreno, incluindo a criação de um lago de 35 hectares, um caminho a pé chamado “Anne Boleyn’s walk”, e vários belos jardins com esculturas italianas clássicas. O espírito de Ana, deve aprovar estas modernas adições, pois dizem que seu fantasma ainda vagueia pelos jardins e pontes que cercam o castelo.

Devido ao tamanho e as limitações de espaço do castelo original, Astor também expandiu Hever, adicionando 100 quartos no vilarejo Tudor para acomodar os hóspedes. O resultado foi surpreendentemente autêntico e encantador, e hoje a vila serve como um centro de conferências completo com 20 quartos, uma sala de jantar para 64 pessoas, sala de reuniões para 25 pessoas e sala de apresentação para 60. Para os viajantes, o castelo foi aberto ao público desde 1983 e é muito aconchegante e familiar, o que pode realmente ser considerado uma desvantagem para alguns visitantes. Mas se você conseguir olhar além de alguns dos elementos mais “turísticos” e infantis talvez fugindo para o Rose Garden – Hever Castle é um destino imperdível para todos os amantes de história.

Atualmente no Youtube, existe um vídeo feito pelo usuário ”Dariusz Sitarz”, que mostra detalhadamente sua visita ao Castelo (está embaçado e tremido, mas conseguimos ter um vislumbre):


FONTES:
Time travel-britain: AQUI.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s